Vayakhel-Pekudei: Atos de Amor | Por Karen Berg

Mostrar amor a outro ser humano é mostrar a ele a face do Divino.

Amor é do que somos feitos. É a qualidade definitiva do Criador e também é a essência de nossas almas.

Eu tenho que ser honesta que há huitos anos atrás, quando eu li Vayakhel-Pekudei pela primeira vez, achei estes capítulos os menos interessantes da Bíblia. No entanto, eu vim a apreciar melhor estas histórias e seus significados. Consequentemente, a porção desta semana se tornou, talvez, uma de minhas preferidas.

Deus instrui Moisés, “Edificai-me um Tabernáculo, para que eu possa habitar dentro de você”. Ambos Vayekhel e Pekudei  discutem os muitos detalhes da construção do Tabernáculo e todos os detalhes necessários para que esta construção fosse  um local onde a Luz do Criador pudesse habitar. Existem muitas mensagens codificadas nas instruções que Deus dá a Moisés, as dimensões do Tabernáculo e como deveria ser manifestado. Porém, o mais interessante é que foram usados 13 tipos de materiais diferentes  para criar este local.

Aprendemos nos estudos da Kabbalah que o número 13 é muito significativo, pois é o valor numérico da palavra amor.

Claro que não temos um Tabernáculo físico hoje, e cabe a cada um de nós estabelecer o lugar que o Criador pode habitar em nós. Como geramos este espaço? A numerologia nos fornece a resposta. O Tabernáculo agora, e também o foi na época, é para ser criado com amor.

Para compartilhar um ato de amor com uma pessoa não requer que este seja romântico. Podemos mostrar atos de amor para amigos, colegas de trabalho, familiares, até mesmo perfeitos estranhos. Quando olhamos para o que há de bom em alguém ao invés do mal, este é um ato de amor. Quando estendemos a mão para um estranho que necessite, isto também é um ato de amor manifesto. Em qualquer momento que usamos nosso livre arbítrio para alcançar outro ser  é, na verdade, um momento que constitui este sentimento. E são nestas expressões divinas que criamos um espaço em nós para o Criador habitar.

Note que o Criador não diz, “Edificai-me um Tabernáculo, para eu habitar dentre vocês,” mas sim “ para eu habitar dentro de você.” O propósito foi sempre para o Criador habitar dentro de cada um de nós. Quando escolhemos amor em suas muitas formas, nós imitamos os caminhos do Criador, deste modo construímos nosso próprio Tabernáculo.

Uma das coisas que acho mais interessantes sobre amor é que há um suprimento infinito disso dentro de cada um de nós, e no entanto, uma falta enorme no mundo. Nessa semana, enchamos o mundo de amor ao mostrá-lo em todas oportunidades. Existem incontáveis caminhos! Ao invés de apenas teclar para um amigo, pegue o telefone para perguntar como ele está e dizer o quanto você se importa. Seja voluntário  em um abrigo para sem-tetos, ou em uma Igreja à sua escolha. Faça uma torta para seu vizinho. Escreva uma carta de amor para sua esposa ou seu amado. Realmente ouça os outros. Mais importante é que estejamos simplesmente ali para os outros.

Como 13 é o valor numérico do amor, nós sabemos que quando duas pessoas agem com amor uma com a outra, temos o número 26 – que é o número de YKVK, o Tetragrama, o mais poderoso nome de Deus.

Onde há amor entre as pessoas, a Luz de Deus habita não somente dentro de nós mesmos, mas brilha intensamente por todo o mundo.

Nesta semana, façamos com que os atos de amor sejam o nosso Norte.

Desejo a vocês uma semana abençoada,

Karen

→ clique aqui para ler outros artigos de Karen Berg

 

Mostrar amor a outro ser humano é mostrar a ele a face do Divino.

Amor é do que somos feitos. É a qualidade definitiva do Criador e também é a essência de nossas almas.

Eu tenho que ser honesta que há huitos anos atrás, quando eu li Vayakhel-Pekudei pela primeira vez, achei estes capítulos os menos interessantes da Bíblia. No entanto, eu vim a apreciar melhor estas histórias e seus significados. Consequentemente, a porção desta semana se tornou, talvez, uma de minhas preferidas.

Deus instrui Moisés, “Edificai-me um Tabernáculo, para que eu possa habitar dentro de você”. Ambos Vayekhel e Pekudei  discutem os muitos detalhes da construção do Tabernáculo e todos os detalhes necessários para que esta construção fosse  um local onde a Luz do Criador pudesse habitar. Existem muitas mensagens codificadas nas instruções que Deus dá a Moisés, as dimensões do Tabernáculo e como deveria ser manifestado. Porém, o mais interessante é que foram usados 13 tipos de materiais diferentes  para criar este local.

Aprendemos nos estudos da Kabbalah que o número 13 é muito significativo, pois é o valor numérico da palavra amor.

Claro que não temos um Tabernáculo físico hoje, e cabe a cada um de nós estabelecer o lugar que o Criador pode habitar em nós. Como geramos este espaço? A numerologia nos fornece a resposta. O Tabernáculo agora, e também o foi na época, é para ser criado com amor.

Para compartilhar um ato de amor com uma pessoa não requer que este seja romântico. Podemos mostrar atos de amor para amigos, colegas de trabalho, familiares, até mesmo perfeitos estranhos. Quando olhamos para o que há de bom em alguém ao invés do mal, este é um ato de amor. Quando estendemos a mão para um estranho que necessite, isto também é um ato de amor manifesto. Em qualquer momento que usamos nosso livre arbítrio para alcançar outro ser  é, na verdade, um momento que constitui este sentimento. E são nestas expressões divinas que criamos um espaço em nós para o Criador habitar.

Note que o Criador não diz, “Edificai-me um Tabernáculo, para eu habitar dentre vocês,” mas sim “ para eu habitar dentro de você.” O propósito foi sempre para o Criador habitar dentro de cada um de nós. Quando escolhemos amor em suas muitas formas, nós imitamos os caminhos do Criador, deste modo construímos nosso próprio Tabernáculo.

Uma das coisas que acho mais interessantes sobre amor é que há um suprimento infinito disso dentro de cada um de nós, e no entanto, uma falta enorme no mundo. Nessa semana, enchamos o mundo de amor ao mostrá-lo em todas oportunidades. Existem incontáveis caminhos! Ao invés de apenas teclar para um amigo, pegue o telefone para perguntar como ele está e dizer o quanto você se importa. Seja voluntário  em um abrigo para sem-tetos, ou em uma Igreja à sua escolha. Faça uma torta para seu vizinho. Escreva uma carta de amor para sua esposa ou seu amado. Realmente ouça os outros. Mais importante é que estejamos simplesmente ali para os outros.

Como 13 é o valor numérico do amor, nós sabemos que quando duas pessoas agem com amor uma com a outra, temos o número 26 – que é o número de YKVK, o Tetragrama, o mais poderoso nome de Deus.

Onde há amor entre as pessoas, a Luz de Deus habita não somente dentro de nós mesmos, mas brilha intensamente por todo o mundo.

Nesta semana, façamos com que os atos de amor sejam o nosso Norte.

Desejo a vocês uma semana abençoada,

Karen

→ clique aqui para ler outros artigos de Karen Berg