Unir-se à alma de Rabbi Shimon | por Michael Berg

O início da porção Emor discute leis específicas sobre os kohenim, os sacerdotes; ou seja, sobre quais funerais eles podem ir. Mas o que isso tem a ver conosco, e mais importante, o que isso tem a ver com esta semana?

Os kabalistas ensinam que historicamente, sim, havia sacerdotes, e havia Sumos Sacerdotes. Mas para a humanidade, houve apenas um Sumo Sacerdote, e ele não tinha nada a ver com ser descendente do sacerdócio. E quem era? Rav Shimon bar Yochai. A alma do Rav Shimon nunca esteve conectada com morte - é muito importante entender isso. Os kabalistas ensinam que Rav Shimon bar Yochai nunca se conectou com a Destruição do Templo, e nunca se conectou com a morte. É por isso que está escrito no Zohar que quando Rav Shimon bar Yochai deixou este mundo, suas últimas palavras foram chaim (vida), porque é uma indicação de sua alma.

Então agora entendemos do que a porção de Emor está falando; não está falando sobre os sacerdotes ou os Sumos Sacerdotes. Está falando de Rav Shimon bar Yochai. E nos revela que Rav Shimon bar Yochai foi ungido com óleo. O que sabemos sobre o óleo? O óleo, os kabalistas explicam, representa o nível de Biná, o nível que nunca se conecta com a morte. Sempre se eleva para uma conexão. É por isso que se você tentar misturar o óleo com água ou qualquer outro líquido, ele sempre vai subir; porque ele não é da consciência deste mundo, não faz parte da escuridão deste mundo.

Há uma declaração muito curiosa no Zohar sobre a porção desta semana. Se diz no começo da porção que o Criador diz a Moisés, "narre e narre novamente". Por que isso? Os kabalistas ensinam que sim, houve a primeira narrativa física da porção desta semana para os Israelitas no deserto, mas houve uma segunda narrativa que se refere à revelação de Rav Shimon bar Yochai. E não se refere à revelação da sabedoria do Rav Shimon bar Yochai, que é o Zohar, mas sim à revelação da apreciação da alma dele.

Os kabalistas ensinam que quem acredita e tem certeza em Rav Shimon bar Yochai recebe força dele, mas isso depende do que você sabe sobre Rav Shimon bar Yochai. Se você pensa em Rav Shimon como simplesmente uma grande alma importante de quem você quer receber a Luz, isso é uma coisa. Mas quando você chega a entender que ele é o Sumo Sacerdote, que nenhuma morte pode se aproximar de Rav Shimon bar Yochai, que nenhuma destruição nunca chegou a Rav Shimon bar Yochai, então é com isso que você se conecta. A grande dádiva deste Shabat é a capacidade de se conectar com a verdadeira essência da alma de Rav Shimon.

Infelizmente, eu acho que muitas pessoas que têm alguma apreciação por Rabbi Shimon bar Yochai realmente não entendem isso. A razão pela qual ele foi capaz de revelar a Luz do Zohar, que é a Luz da Redenção Final, foi porque sua alma era única, não se comparava a nenhuma outra em toda a história da humanidade. E a cada Shabat Emor, essa Luz de Rabbi Shimon bar Yochai é revelada novamente para nós e para este mundo. E queremos ser capazes de mudar a nossa consciência, e nos tornar mais alinhados com a consciência de Rabbi Shimon bar Yochai.

Se pudermos realmente nos conectar com a alma de Rabbi Shimon bar Yochai, que é uma alma que nunca está, ou esteve, conectada com a morte ou a destruição, poderemos receber o presente deste Shabat.

→ clique aqui para ler outros artigos de Michael Berg

O início da porção Emor discute leis específicas sobre os kohenim, os sacerdotes; ou seja, sobre quais funerais eles podem ir. Mas o que isso tem a ver conosco, e mais importante, o que isso tem a ver com esta semana?

Os kabalistas ensinam que historicamente, sim, havia sacerdotes, e havia Sumos Sacerdotes. Mas para a humanidade, houve apenas um Sumo Sacerdote, e ele não tinha nada a ver com ser descendente do sacerdócio. E quem era? Rav Shimon bar Yochai. A alma do Rav Shimon nunca esteve conectada com morte - é muito importante entender isso. Os kabalistas ensinam que Rav Shimon bar Yochai nunca se conectou com a Destruição do Templo, e nunca se conectou com a morte. É por isso que está escrito no Zohar que quando Rav Shimon bar Yochai deixou este mundo, suas últimas palavras foram chaim (vida), porque é uma indicação de sua alma.

Então agora entendemos do que a porção de Emor está falando; não está falando sobre os sacerdotes ou os Sumos Sacerdotes. Está falando de Rav Shimon bar Yochai. E nos revela que Rav Shimon bar Yochai foi ungido com óleo. O que sabemos sobre o óleo? O óleo, os kabalistas explicam, representa o nível de Biná, o nível que nunca se conecta com a morte. Sempre se eleva para uma conexão. É por isso que se você tentar misturar o óleo com água ou qualquer outro líquido, ele sempre vai subir; porque ele não é da consciência deste mundo, não faz parte da escuridão deste mundo.

Há uma declaração muito curiosa no Zohar sobre a porção desta semana. Se diz no começo da porção que o Criador diz a Moisés, "narre e narre novamente". Por que isso? Os kabalistas ensinam que sim, houve a primeira narrativa física da porção desta semana para os Israelitas no deserto, mas houve uma segunda narrativa que se refere à revelação de Rav Shimon bar Yochai. E não se refere à revelação da sabedoria do Rav Shimon bar Yochai, que é o Zohar, mas sim à revelação da apreciação da alma dele.

Os kabalistas ensinam que quem acredita e tem certeza em Rav Shimon bar Yochai recebe força dele, mas isso depende do que você sabe sobre Rav Shimon bar Yochai. Se você pensa em Rav Shimon como simplesmente uma grande alma importante de quem você quer receber a Luz, isso é uma coisa. Mas quando você chega a entender que ele é o Sumo Sacerdote, que nenhuma morte pode se aproximar de Rav Shimon bar Yochai, que nenhuma destruição nunca chegou a Rav Shimon bar Yochai, então é com isso que você se conecta. A grande dádiva deste Shabat é a capacidade de se conectar com a verdadeira essência da alma de Rav Shimon.

Infelizmente, eu acho que muitas pessoas que têm alguma apreciação por Rabbi Shimon bar Yochai realmente não entendem isso. A razão pela qual ele foi capaz de revelar a Luz do Zohar, que é a Luz da Redenção Final, foi porque sua alma era única, não se comparava a nenhuma outra em toda a história da humanidade. E a cada Shabat Emor, essa Luz de Rabbi Shimon bar Yochai é revelada novamente para nós e para este mundo. E queremos ser capazes de mudar a nossa consciência, e nos tornar mais alinhados com a consciência de Rabbi Shimon bar Yochai.

Se pudermos realmente nos conectar com a alma de Rabbi Shimon bar Yochai, que é uma alma que nunca está, ou esteve, conectada com a morte ou a destruição, poderemos receber o presente deste Shabat.

→ clique aqui para ler outros artigos de Michael Berg