A Tapeçaria da Vida | por Karen Berg

Há um ditado que diz, “Não se reconhece a floresta pelas árvores. ”Na vida, não é sempre fácil entender porque as coisas acontecem de certa maneira. Já ouvimos antes que Deus trabalha de maneira misteriosa. Várias vezes na vida, as coisas parecem inexplicáveis. Nos perguntamos porque coisas ruins acontecem com pessoas boas. Nos encontramos duvidando de nossa vida e do Universo. Imaginamos o dia em que todo o bem que fizemos finalmente voltará para nós. Podemos até nos encontrar em uma situação vivenciando dificuldades sem nenhuma razão aparente. Nestes momentos, eu gosto de me lembrar que a vida é como uma bela tapeçaria.  De perto, vemos uma confusão de cores e padrões criando uma imagem desagradável e desordenada. Mas quando a tapeçaria é pendurada na parede e damos um passo para trás, podemos finalmente ver a imagem que estava oculta de nós, todo o tempo. A vida é como uma tapeçaria. Podemos encontrar e conhecer uma infinidade de pessoas que parecem aleatórias e sem sentido. Nos vemos como parte de infinitas experiências, boas e ruins, que algumas vezes parecem sem sentido. Mas se estivermos dispostos a olhar para o nosso passado, e eu aposto que se tentarmos, podemos ver como tudo o que vivenciamos tinha um propósito. Nós podemos enxergar porque os eventos se desdobraram daquela maneira. Quando nos afastamos, podemos ver a divina orquestração em cada fio de nossas vidas.

Nesta semana nossa porção é Mishpatim. Nela, encontramos os Israelitas, logo após a libertação da escravidão, recebendo insights das operações do Universo. O Criador, por meio de Moisés, divulga os trabalhos do Universo, bem como o futuro do caminho que o Criador desenhou para ele. Tendo vivenciado seu grande renascimento, foi dado aos Israelitas um manual de instruções de como acessar os aspectos positivos da vida. Moisés explica a importância de tratar cada um com dignidade humana e mais algumas leis universais de como tratar uns aos outros.

Nós também, assim como os Israelitas, precisamos de um manual de instruções. Nesta semana, nós recebemos este manual. Recebemos a sabedoria, clareza e grande entendimento de nosso mundo.

Já devemos ter ouvido, quando crianças, a Regra de Ouro, “Faça aos outros o que você gostaria que fizessem a você. ” Nós aprendemos quando crianças, a sermos gentis uns com os outros.  Também aprendemos o que acontece se não o somos. Se alguma vez nós empurramos um colega de classe, ele possivelmente nos empurrou de volta. Algumas vezes, fomos empurrados sem nenhuma razão.

Nós nunca conseguimos realmente enxergar a grande figura da vida. Algumas vezes ficamos confusos com a maneira que as coisas acontecem. Mas se confiarmos que existe um plano maior para a vida, podemos diminuir nossos medos e ansiedade sobre como viver neste mundo. Quando sabemos que o Universo é sábio e misericordioso, podemos agir a partir de um lugar de certeza. Podemos perceber que o Criador nos ama e não coloca em nossas vidas, nada, ninguém ou nenhuma circunstância que não seja para nosso benefìcio e crescimento.

Nesta semana, em suas meditações, imagine-se flutuando acima do mundo e o olhando à distância. A beleza das nuvens brancas peroladas cobrindo os ricos verdes e os profundos azuis da terra e do mar. Veja a magnificência da Terra agindo e brilhando no espaço. Agora imagine-se descendo lentamente para a Terra. Enquanto você se aproxima,consegue ver mais e mais detalhes. Finalmente aterrissa e percebe as milhares e milhares de plantas, animais, pessoas e tantas outras coisas que nem parecem ter conexão umas com as outras. No entanto, lembre-se de como foi lá bem do alto, quando o mundo era apenas uma linda bola brilhante de azuis e verdes. Agora, talvez, pense sobre sua própria vida. Pare um momento e olhe para dentro de si. Você está encarando uma difícil encruzilhada? Você foi machucado por alguém? Está com dúvidas para onde a vida está lhe levando? Respire fundo. Se você puder, esteja disposto a saber que o Universo é sábio e misericordioso. Dê um passo para trás para enxergar a sua vida e a veja de forma completa. Se puder, esteja aberto a ver que cada pessoa, cada momento e cada experiência que você teve estavam conectados e contribuíram para seu maior propósito e para o destino de sua vida. Se  puder, esteja aberto para acreditar que há mais alegria esperando por você. Esteja aberto para entender que o que  quer que esteja ocorrendo agora em sua vida é somente para aproximá-lo desta alegria. Se você for capaz, abra seu coração e mente para entender que a vida é como uma tapeçaria, cheia de várias experiência, pessoas e momentos que estão sendo somados à totalidade que é sua vida.

Eu espero que cada um de nós estejamos dispostos a saber que somos valiosos para o Criador. Que tudo que ocorre na vida vem para nós de um lugar de amor. Desta maneira, podemos nos mover por nossas vidas confiando e sabendo que muitas outras bênçãos chegarão ao nosso caminho. No final das contas, sabemos em nossos corações que este mundo é lindo e equilibrado.

A vida é realmente bela.

Recebam todo meu amor sempre,

Karen

→ clique aqui para ler outros artigos de Karen Berg

 

Há um ditado que diz, “Não se reconhece a floresta pelas árvores. ”Na vida, não é sempre fácil entender porque as coisas acontecem de certa maneira. Já ouvimos antes que Deus trabalha de maneira misteriosa. Várias vezes na vida, as coisas parecem inexplicáveis. Nos perguntamos porque coisas ruins acontecem com pessoas boas. Nos encontramos duvidando de nossa vida e do Universo. Imaginamos o dia em que todo o bem que fizemos finalmente voltará para nós. Podemos até nos encontrar em uma situação vivenciando dificuldades sem nenhuma razão aparente. Nestes momentos, eu gosto de me lembrar que a vida é como uma bela tapeçaria.  De perto, vemos uma confusão de cores e padrões criando uma imagem desagradável e desordenada. Mas quando a tapeçaria é pendurada na parede e damos um passo para trás, podemos finalmente ver a imagem que estava oculta de nós, todo o tempo. A vida é como uma tapeçaria. Podemos encontrar e conhecer uma infinidade de pessoas que parecem aleatórias e sem sentido. Nos vemos como parte de infinitas experiências, boas e ruins, que algumas vezes parecem sem sentido. Mas se estivermos dispostos a olhar para o nosso passado, e eu aposto que se tentarmos, podemos ver como tudo o que vivenciamos tinha um propósito. Nós podemos enxergar porque os eventos se desdobraram daquela maneira. Quando nos afastamos, podemos ver a divina orquestração em cada fio de nossas vidas.

Nesta semana nossa porção é Mishpatim. Nela, encontramos os Israelitas, logo após a libertação da escravidão, recebendo insights das operações do Universo. O Criador, por meio de Moisés, divulga os trabalhos do Universo, bem como o futuro do caminho que o Criador desenhou para ele. Tendo vivenciado seu grande renascimento, foi dado aos Israelitas um manual de instruções de como acessar os aspectos positivos da vida. Moisés explica a importância de tratar cada um com dignidade humana e mais algumas leis universais de como tratar uns aos outros.

Nós também, assim como os Israelitas, precisamos de um manual de instruções. Nesta semana, nós recebemos este manual. Recebemos a sabedoria, clareza e grande entendimento de nosso mundo.

Já devemos ter ouvido, quando crianças, a Regra de Ouro, “Faça aos outros o que você gostaria que fizessem a você. ” Nós aprendemos quando crianças, a sermos gentis uns com os outros.  Também aprendemos o que acontece se não o somos. Se alguma vez nós empurramos um colega de classe, ele possivelmente nos empurrou de volta. Algumas vezes, fomos empurrados sem nenhuma razão.

Nós nunca conseguimos realmente enxergar a grande figura da vida. Algumas vezes ficamos confusos com a maneira que as coisas acontecem. Mas se confiarmos que existe um plano maior para a vida, podemos diminuir nossos medos e ansiedade sobre como viver neste mundo. Quando sabemos que o Universo é sábio e misericordioso, podemos agir a partir de um lugar de certeza. Podemos perceber que o Criador nos ama e não coloca em nossas vidas, nada, ninguém ou nenhuma circunstância que não seja para nosso benefìcio e crescimento.

Nesta semana, em suas meditações, imagine-se flutuando acima do mundo e o olhando à distância. A beleza das nuvens brancas peroladas cobrindo os ricos verdes e os profundos azuis da terra e do mar. Veja a magnificência da Terra agindo e brilhando no espaço. Agora imagine-se descendo lentamente para a Terra. Enquanto você se aproxima,consegue ver mais e mais detalhes. Finalmente aterrissa e percebe as milhares e milhares de plantas, animais, pessoas e tantas outras coisas que nem parecem ter conexão umas com as outras. No entanto, lembre-se de como foi lá bem do alto, quando o mundo era apenas uma linda bola brilhante de azuis e verdes. Agora, talvez, pense sobre sua própria vida. Pare um momento e olhe para dentro de si. Você está encarando uma difícil encruzilhada? Você foi machucado por alguém? Está com dúvidas para onde a vida está lhe levando? Respire fundo. Se você puder, esteja disposto a saber que o Universo é sábio e misericordioso. Dê um passo para trás para enxergar a sua vida e a veja de forma completa. Se puder, esteja aberto a ver que cada pessoa, cada momento e cada experiência que você teve estavam conectados e contribuíram para seu maior propósito e para o destino de sua vida. Se  puder, esteja aberto para acreditar que há mais alegria esperando por você. Esteja aberto para entender que o que  quer que esteja ocorrendo agora em sua vida é somente para aproximá-lo desta alegria. Se você for capaz, abra seu coração e mente para entender que a vida é como uma tapeçaria, cheia de várias experiência, pessoas e momentos que estão sendo somados à totalidade que é sua vida.

Eu espero que cada um de nós estejamos dispostos a saber que somos valiosos para o Criador. Que tudo que ocorre na vida vem para nós de um lugar de amor. Desta maneira, podemos nos mover por nossas vidas confiando e sabendo que muitas outras bênçãos chegarão ao nosso caminho. No final das contas, sabemos em nossos corações que este mundo é lindo e equilibrado.

A vida é realmente bela.

Recebam todo meu amor sempre,

Karen

→ clique aqui para ler outros artigos de Karen Berg