O que é Kabbalah?

Depoimentos

“Sinto-me imensamente privilegiada e profundamente agradecida por fazer parte da geração alcançada pela luz através da Kab

Como começar?

Conheça os 3 passos para iniciar o estudo da Kabbalah:

Consciência Semanal

Através da porção de Shemot, podemos começar a despertar a parte de nossa alma que é necessária para trazer a Redenção Final;  a carta número 27 no livro Beloved of My Soul tem, em si, um ponto específico, no qual Rav Brandwein ensina meu pai, Rav Berg, sobre esse importante entendimento.

Sabemos que Moisés queria pôr fim a todo sofrimento e morte neste mundo, fazendo o que pôde para ajudar os israelitas enquanto eles estavam sofrendo com a escravidão no Egito.  Mas, por que, então, Rav Brandwein pergunta, Moisés disse não quando o Criador lhe disse que ele seria o único a pôr um fim a toda a dor e sofrimento?  Uma discussão entre Moisés e o Criador ocorreu por uma semana, na qual Moisés não apenas aproveitou a oportunidade, mas também continuou resistindo. Então, como podemos entender isso?

Moisés cuidou dos israelitas, mas não da maneira que muitos de nós cuidamos de alguém.  Para nós, vemos alguém com dor e dizemos: "Eu o ajudarei hoje, mesmo que amanhã ele esteja com dor novamente" – e estamos bem com isso.  Mas Moisés não estava.  Moisés estava em um nível completamente diferente.  Ele não queria fazer parte de nada que não fosse eterno; para Moisés, o que quer que ele fizesse, deveria fazer parte da Redenção Final.  Imagine como essa consciência é diferente da consciência da maioria de nós, que ficamos felizes se conseguirmos resolver um problema para alguém.  Mas Moisés, a cada momento de sua vida, fazia questão de que qualquer coisa que tocasse fizesse parte da eterna remoção de dor, sofrimento e morte.

Então, com isso, podemos entender por que Moisés estava resistindo à Luz:  resistir à Luz é o que cria um recipiente maior!  Se Moisés tivesse aceitado que o Criador lhe desse a capacidade de trazer a Redenção aos israelitas no Egito naquele momento, ele teria sido muito limitado no que poderia fazer para ajudar.  Embora muitos de nós ficaríamos felizes com isso, Moisés não.  Moisés resistiu à Luz, dizendo: "Quero mais.  Quero o poder para fazer mais!". Portanto, durante a semana inteira, não se tratava realmente de uma discussão entre Moisés e o Criador, em que Moisés estava dizendo: "Não quero fazer isso, não tenho certeza se posso  fazê-lo", mas sim de Moisés despertando um recipiente maior, para assim revelar uma maior Luz.

O Criador, então, disse a Moisés que a única maneira de despertar a Redenção é através de "amar o  próximo como a si mesmo".  E, para que isso acontecesse, o Criador disse a Moisés para levar Aarão – que é a energia da Coluna da Direita, a energia da Misericórdia – com ele, e juntos eles ensinarão aos israelitas esse conceito, esse entendimento, de "amar o próximo como a si mesmo". Esse é o trabalho que Moisés e Aarão começaram: ir aos israelitas e, como diz Rav Brandwein, forçar esse despertar do amor neles.

Para que a redenção ocorra, deve haver um novo nível de amor;  esse é o segredo que Rav Brandwein diz a Rav Berg, e que o Criador estava dizendo a Moisés, e a nós agora.  Mas por que isso?  Por que tem que haver um novo nível de amor?  O Midrash pergunta como, se os israelitas estavam no que é chamado 49º portão da negatividade, eles mereceram a Redenção Final?  O que permitiu que os israelitas fossem redimidos, mesmo estando naquele nível baixo?

Aqui está a resposta e um belo ensinamento.  O que permitiu a redenção da saída do Egito foi o olhar do Criador para a parte da alma dos israelitas, a parte que está dentro de todo indivíduo, que nunca é danificada, mesmo pelas ações negativas que ele  faz.  E como o Criador não se concentrou na pessoa que estava no 49º nível de negatividade, mas na parte da alma dessa pessoa que nunca é danificada, na parte aperfeiçoada que cada um de nós possui, a Redenção poderia vir.  Assim, os kabalistas nos ensinam que a razão pela qual os israelitas mereceram a redenção do Egito foi porque o Criador olhou para a parte dentro de todos, que é perfeita.

Mas, o mais importante para nós, como podemos despertar isso para nós mesmos?  A resposta, acredito, é muito simples.  Sabemos que, da maneira como uma pessoa se comporta, a Luz do Criador se comporta com ela; e como nos comportamos em relação aos outros, a Luz do Criador se comporta conosco.  Isso significa que, se somos uma pessoa que encontra a centelha de bondade dentro de alguém quando a vemos fazer algo negativo, então o Criador olhará para nós, e não importa o que façamos, também se concentrará apenas na centelha de bondade dentro de nós.

Existem duas maneiras de alcançar a Redenção: ou fazer com que todos sejam perfeitos, o que nunca vai acontecer, ou chegar ao local em que o Criador se concentra apenas na parte perfeita de nós.  Como isso é feito?  Ao dizer aos israelitas, e a nós, para despertar o amor, significa que, quando vemos alguém que fez coisas terríveis, dizemos: "Não me importo com todas essas coisas terríveis que essa pessoa fez.  Estou focado apenas na bondade dela".

O que significa, então, amar o outro como a nós mesmos? Esquecer todas as coisas negativas que ele ou ela fez, e se concentrar apenas nessa alma e bondade perfeitas da pessoa.  Os israelitas mereceram que a Luz se concentrasse apenas em sua bondade, porque eles estavam focados na bondade dos outros.  Esse é o segredo do motivo pelo qual Rav Brandwein diz a Rav Berg, e o Criador disse a Moisés e a Arão, que todos nós temos que ir e despertar o "Amar o próximo como a si mesmo".

A Redenção Final virá quando o Criador se concentrar apenas na centelha do bem dentro das pessoas.  Como isso acontece?  Quando um número suficiente de nós também estiver concentrado apenas nessa centelha de bondade que há dentro de todos.

 

 

→ clique aqui para ler outros artigos de Michael Berg

 

Cursos, Seminário e Eventos

Ferramentas Kabalísticas

Astrologia Kabalística

Os conhecimentos adquiridos a partir da leitura de um mapa...

Zohar

O Universo não começou com um átomo ou uma partícula...

72 Nomes

Os 72 Nomes de Deus não são nomes no sentido comum, são 72...

Ana Bekoach

O Ana Bekoach é talvez a oração mais poderosa de todo o...

Meditacão de Proteção

O que há de tão importante em uma simples fita vermelha...