Seus Desafios São Suas Bênçãos | por Karen Berg

O poder da bondade, da compaixão e do amor encontram por vezes os nossos corações na mais escura das noites. Apesar de ser difícil de aceitar quando estamos no turbilhão do desafio, a verdade é que sem desafio não há crescimento. Sem escuridão, não há Luz.

Peguemos por exemplo na porção de Toldot, na qual Rebeca, a mulher de Isaac, se vê grávida, miraculosamente grávida de gémeos, Jacó e Esaú. Mesmo no útero ela consegue sentir a energia contrastante dos gêmeos na forma das dores excruciantes da gravidez, e por isso ela questiona Deus para saber o que está acontecendo dentro dela.

E Deus diz-lhe: "No seu ventre você tem duas nações". Como veio a acontecer, Jacó tornou-se um homem do estudo e do espírito, e Esaú tornou-se exatamente no oposto (epítome do Desejo de receber para Si mesmo), em egoísmo e ego.

Podemos questionar, como o Rashi o fez, como é que estas duas almas tão elevadas, Isaac e Rebeca, puderam trazer a este mundo uma alma como a de Esaú? A resposta fica clara quando levamos em conta a ideia de que a Luz não vem da luz. A Luz vem da escuridão. O universo inteiro opera segundo a polaridade. Esaú era completamente negativo e por isso tinha o potencial para fazer a maior transformação.

Os kabalistas revelam que Esaú representa o Desejo de Receber Para si Mesmo que existe em todos nós, e recorda-nos o tremendo poder que nos foi injetado e que nos permite converter essa energia para o bem.

Por vezes podemos desejar não ter de passar por desafios e podemos achar que a vida é um passeio no parque. Mas o que é mais satisfatório é saber que, com ferramentas espirituais e vontade de olhar para dentro e participar do trabalho interno, podemos superar e revelar mais da nossa alma, no dia a dia. Deste modo, transformamos a escuridão que então nos rodeava numa vantagem, alterando a nossa dívida kármica. Um grande exemplo é a pessoa que tem que superar um vício, abuso, ou outra forma de trauma para poder ser um farol de esperança e cura para outras pessoas.  Os nossos desafios são as nossas oportunidades de ouro de abrir os nossos corações e de desfrutar a bênção de estarmos mais integrados na vida das pessoas à nossa volta.

Seja qual for a dificuldade que possamos estar atravessando, o desafio espiritual mantém-se o mesmo: reconhecer que a escuridão que estamos vivenciando é a nossa oportunidade de revelar a nossa beleza, a nossa força interior e Luz neste mundo.

Desejo a todos a energia e o poder de que necessitam para enfrentar seja qual for a prova que têm perante vocês neste momento, com graça e consciência. Ao fazê-lo, que possam provar a água doce do poço do caminho espiritual, sendo para sempre nutrido por ele.
 

→ clique aqui para ler outros artigos de Karen Berg

 

O poder da bondade, da compaixão e do amor encontram por vezes os nossos corações na mais escura das noites. Apesar de ser difícil de aceitar quando estamos no turbilhão do desafio, a verdade é que sem desafio não há crescimento. Sem escuridão, não há Luz.

Peguemos por exemplo na porção de Toldot, na qual Rebeca, a mulher de Isaac, se vê grávida, miraculosamente grávida de gémeos, Jacó e Esaú. Mesmo no útero ela consegue sentir a energia contrastante dos gêmeos na forma das dores excruciantes da gravidez, e por isso ela questiona Deus para saber o que está acontecendo dentro dela.

E Deus diz-lhe: "No seu ventre você tem duas nações". Como veio a acontecer, Jacó tornou-se um homem do estudo e do espírito, e Esaú tornou-se exatamente no oposto (epítome do Desejo de receber para Si mesmo), em egoísmo e ego.

Podemos questionar, como o Rashi o fez, como é que estas duas almas tão elevadas, Isaac e Rebeca, puderam trazer a este mundo uma alma como a de Esaú? A resposta fica clara quando levamos em conta a ideia de que a Luz não vem da luz. A Luz vem da escuridão. O universo inteiro opera segundo a polaridade. Esaú era completamente negativo e por isso tinha o potencial para fazer a maior transformação.

Os kabalistas revelam que Esaú representa o Desejo de Receber Para si Mesmo que existe em todos nós, e recorda-nos o tremendo poder que nos foi injetado e que nos permite converter essa energia para o bem.

Por vezes podemos desejar não ter de passar por desafios e podemos achar que a vida é um passeio no parque. Mas o que é mais satisfatório é saber que, com ferramentas espirituais e vontade de olhar para dentro e participar do trabalho interno, podemos superar e revelar mais da nossa alma, no dia a dia. Deste modo, transformamos a escuridão que então nos rodeava numa vantagem, alterando a nossa dívida kármica. Um grande exemplo é a pessoa que tem que superar um vício, abuso, ou outra forma de trauma para poder ser um farol de esperança e cura para outras pessoas.  Os nossos desafios são as nossas oportunidades de ouro de abrir os nossos corações e de desfrutar a bênção de estarmos mais integrados na vida das pessoas à nossa volta.

Seja qual for a dificuldade que possamos estar atravessando, o desafio espiritual mantém-se o mesmo: reconhecer que a escuridão que estamos vivenciando é a nossa oportunidade de revelar a nossa beleza, a nossa força interior e Luz neste mundo.

Desejo a todos a energia e o poder de que necessitam para enfrentar seja qual for a prova que têm perante vocês neste momento, com graça e consciência. Ao fazê-lo, que possam provar a água doce do poço do caminho espiritual, sendo para sempre nutrido por ele.
 

→ clique aqui para ler outros artigos de Karen Berg