Ser Verdadeiramente Livre | por Karen Berg

É tão fácil confundir liberdade com a habilidade de fazer tudo o que queremos. Espiritualmente falando, liberdade é a coragem de evitar fazer o que não queremos.

Esta é uma semana muito especial, por ser a Festividade de Pessach, a época em que o Próprio Criador tirou os Israelitas do Egito, os tirando da escravidão. No Kabbalah Centre nós ensinamos que nós mesmos, podemos não estar em estado de “escravidão” física, mas temos pelo menos uma coisa em nossas vidas que nos escraviza. Podemos ser escravizados pelo álcool, drogas ou outras formas de vícios, enquanto que para outros pode ser o poder, controle ou riqueza, ou até mesmo culpando outras pessoas. Nenhum de nós, enquanto estamos aqui neste mundo, somos totalmente imunes aos truques do lado negativo, a força que procura nos manter subjugados, para que permaneçamos presos, incapazes de seguir em frente e experienciar o potencial de nossa alma e a totalidade da Luz.

Já sabemos que na época do êxodo do Egito, Deus concedeu aos Israelitas imunidade desta força de escravidão, e cada ano na mesma janela temporal, as correntes são quebradas para nós também. Assim como a energia divina do Criador removeu os Israelitas de sua escravidão, também é a mesma totalidade de energia disponível para nós, no cosmo está semana: Liberdade de tudo o que nos afasta da Luz. Com o presente de Luz que recebemos durante Pessach, nós também podemos experienciar o mais divino dos privilégios.

Claro que, somente porque esta energia está disponível não significa que nós automaticamente vamos acessá-la, ou mantê-la. O que aconteceu depois que o Criador tirou dos Israelitas do Egito? Eles reclamaram. Eles queriam voltar para a vida que tinham antes. Afinal, eles estavam suficientemente confortáveis e até gostavam. Parece um pouco insano, certo? Quem iria querer voltar para um vida de escravidão? E no entanto, este é o desafio que cada um de nós encara não somente, durante esta semana, mas nos 49 dias que se seguem à Pessach, pois nossa soberania ainda está sendo solidificada! Tão importante como a liberdade é, igualmente importante o que fazemos com ela. Na noite de Pessach, podemos nos libertar de nossas algemas pelas Mãos do Criador, mas nos dias que se seguem, o que fazemos com nossa própria determinação, estará inteiramente em nossas mãos!

Os Israelitas quiseram retornar para sua vida de escravidão por uma razão, uma única razão: Este era o caminho mais fácil. É tão confortável retroceder aos nossos antigos padrões, habilitar o ego procurando atenção pela simples atenção, tentar manipular situações, ou pegar um pouco mais nos momentos que sabemos que mais precisamos dar. Está semana estamos sendo chamados para deixar estes comportamentos que não servem à nossa conexão com a Luz e adentrar uma nova forma de ser. Procure as oportunidades para criar novos padrões iguais a Luz, trocando os prazeres de curto prazo nascidos do ego, pelas satisfações de longo prazo, que só podem ser geradas quando nos tornamos uma força criativa.

Ser verdadeiramente livre é ser um Criador por nosso próprio direito, andar pelo caminho espiritual e fazer o que mais vai beneficiar, não somente nós mesmos, mas todos à nossa volta.

Esta semana deixe a liberdade ser seu verdadeiro Norte.

Desejo a você uma semana abençoada,

Karen Berg

→ clique aqui para ler outros artigos de Karen Berg

É tão fácil confundir liberdade com a habilidade de fazer tudo o que queremos. Espiritualmente falando, liberdade é a coragem de evitar fazer o que não queremos.

Esta é uma semana muito especial, por ser a Festividade de Pessach, a época em que o Próprio Criador tirou os Israelitas do Egito, os tirando da escravidão. No Kabbalah Centre nós ensinamos que nós mesmos, podemos não estar em estado de “escravidão” física, mas temos pelo menos uma coisa em nossas vidas que nos escraviza. Podemos ser escravizados pelo álcool, drogas ou outras formas de vícios, enquanto que para outros pode ser o poder, controle ou riqueza, ou até mesmo culpando outras pessoas. Nenhum de nós, enquanto estamos aqui neste mundo, somos totalmente imunes aos truques do lado negativo, a força que procura nos manter subjugados, para que permaneçamos presos, incapazes de seguir em frente e experienciar o potencial de nossa alma e a totalidade da Luz.

Já sabemos que na época do êxodo do Egito, Deus concedeu aos Israelitas imunidade desta força de escravidão, e cada ano na mesma janela temporal, as correntes são quebradas para nós também. Assim como a energia divina do Criador removeu os Israelitas de sua escravidão, também é a mesma totalidade de energia disponível para nós, no cosmo está semana: Liberdade de tudo o que nos afasta da Luz. Com o presente de Luz que recebemos durante Pessach, nós também podemos experienciar o mais divino dos privilégios.

Claro que, somente porque esta energia está disponível não significa que nós automaticamente vamos acessá-la, ou mantê-la. O que aconteceu depois que o Criador tirou dos Israelitas do Egito? Eles reclamaram. Eles queriam voltar para a vida que tinham antes. Afinal, eles estavam suficientemente confortáveis e até gostavam. Parece um pouco insano, certo? Quem iria querer voltar para um vida de escravidão? E no entanto, este é o desafio que cada um de nós encara não somente, durante esta semana, mas nos 49 dias que se seguem à Pessach, pois nossa soberania ainda está sendo solidificada! Tão importante como a liberdade é, igualmente importante o que fazemos com ela. Na noite de Pessach, podemos nos libertar de nossas algemas pelas Mãos do Criador, mas nos dias que se seguem, o que fazemos com nossa própria determinação, estará inteiramente em nossas mãos!

Os Israelitas quiseram retornar para sua vida de escravidão por uma razão, uma única razão: Este era o caminho mais fácil. É tão confortável retroceder aos nossos antigos padrões, habilitar o ego procurando atenção pela simples atenção, tentar manipular situações, ou pegar um pouco mais nos momentos que sabemos que mais precisamos dar. Está semana estamos sendo chamados para deixar estes comportamentos que não servem à nossa conexão com a Luz e adentrar uma nova forma de ser. Procure as oportunidades para criar novos padrões iguais a Luz, trocando os prazeres de curto prazo nascidos do ego, pelas satisfações de longo prazo, que só podem ser geradas quando nos tornamos uma força criativa.

Ser verdadeiramente livre é ser um Criador por nosso próprio direito, andar pelo caminho espiritual e fazer o que mais vai beneficiar, não somente nós mesmos, mas todos à nossa volta.

Esta semana deixe a liberdade ser seu verdadeiro Norte.

Desejo a você uma semana abençoada,

Karen Berg

→ clique aqui para ler outros artigos de Karen Berg