Rav Ashlag

A virada do Vigésimo Século.

Ele era o mais profundo kabalista da sua geração. O homem escolhido, talvez, que realmente entendeu – e ainda ajudou no avanço – as transformações do Vigésimo Século.

Ele era o kabalista eminente, o mestre reverenciado, Rav Yehuda Ashlag.

Rav Ashlag quebrou com a tradição de 4.000 anos que trancava o grande poder da Kabbalah dentro dos misteriosos escritos do Ari. Chegara a hora de agir. Os cofres milenares para a Kabbalah foram abertos pelas mãos do renomado sábio.

Rav Ashlag explicou que o Zohar previu a fisicalidade do mundo material de hoje e sua regra sobre a realidade espiritual. Durantes estes tempos, homens motivados pelo interesse próprio, intelectualismo, e ego evitaram a sabedoria espiritual como a praga. Apenas os que buscavam a verdade com um coração puro são capazes de encontrar a sabedoria.
Estas visões são expressadas em seu tratado de Introdução Kabalística para a Árvore da Vida.

Além disso, Rav Ashlag afirmou que aqueles que buscam a verdade da Kabbalah devem passar por sete testes para garantir que eles são dignos de adquirir este conhecimento.

Portanto, chegou o tempo de remover os véus:

Em uma geração como a nossa não há nada a se temer abertamente com a revelação da verdadeira sabedoria.

- Introdução à Árvore da Vida, Rav Yehuda Ashlag

O ano era 1922. O místico Ashlag estabeleceu o primeiro de todos os Kabbalah Centres na cidade de Jerusalém. O aprendizado era disponibilizado àqueles inclinados aos estudos religiosos, era Ortodoxos, e tinham mais de 40 anos.

Muitos rabbis líderes de sua geração aplaudiram esta abertura histórica. Outros se opuseram veementemente, soprando as chamas da controvérsia que rodeava a disseminação desta sabedoria espiritual.

Rav Ashlag fora derrotado fora de sua sinagoga. Ele fora deixado deitado sob o próprio sangue, nos degraus de seu templo, meramente por oferecer sabedoria ao seu companheiro, o homem.

Rav Ashlag analisou a Kabbalah Luriânica com fervoroso devotamento. Ele desvendou alguns dos maiores segredos que a humanidade já conheceu. Contudo, a vasta maioria do mundo prestou pouca atenção em sua ação histórica, e nem puderam perceber sua influência.

Os escritos do Rav Ashlag tratam tópicos pertinentes à remoção definitiva do caos – o caos que havia assolado a humanidade desde tempos imemoráveis.

Conceitos como a relatividade, viagem espacial, cura, e outras questões que afetam a prosperidade da humanidade foram ocultados pela primeira vez no Zohar 2.000 anos atrás.

A genialidade do Rav Ashlag habita na sua habilidade em extrapolar estes segredos dos escritos de 500 anos do Ari. Ao passo que os mistérios eram desvendados, eles eram injetados ao coletivo inconsciente das pessoas, incluindo suas contrapartidas lidando com o mundo da física. Mais uma vez, o “efeito monólito” estava em pauta.

No invisível nível espiritual, seu trabalho acendeu a explosão tecnológica do Século 20.

Rav Ashlag foi abençoado com poderes imensos de meditação e visão. Na década de 1920, ele redigiu uma carta de alerta: um grande vazio espiritual e escuridão estavam vagarosamente devorando a Europa Central e Oriental.

A carta ameaçadora fora enviada aos Rabbis europeus, implorando a eles para circularem a luz espiritual do Zohar por todo o continente. Falhando em realiza-la, alertou Rav Ashlag, poderia levar à destruição e declínio espiritual no Judaísmo, “do tipo que a humanidade nunca havia visto antes”.

Seus avisos foram ignorados. A mera menção da palavra Kabbalah continuou a causar medo, e frequentemente frio ódio, nos corações de muitos líderes religiosos.
Rav Ashlag escreveu:
 

A redenção depende do aprendizado da Kabbalah. Se as pessoas negligenciam o estudo do misticismo, então a pobreza, guerra, desolação, assassinato, e destruição chegará ao mundo.

The Wisdom of Truth
Estas são árduas afirmativas. Palavras difíceis. Porém verdades espirituais, apesar disso.

O ano era 1955. O kabalista Rav Ashlag deixou nosso mundo na noite de Yom Kippur, um período condizente de um homem de sua estatura espiritual.

Talvez o maior legado de Rav Ashlag seja sua primeira de todas as traduções hebraicas do Zohar do seu original aramaico. Este tomo místico monumental inclui um profundo e lúcido comentário desvendando os por tanto tempo escondidos segredos do Zohar e sua relevância para nossas vidas. Seu outro notável legado é seu adorado aluno, o santificado kabalista Rav Yehuda Brandwein.