Rav Berg

O ano era 1962.

Rav Brandwein encontrou um jovem ortodoxo Rabbi visitando Israel vindo da América. Seu nome era Philip Berg. Os dois homens eram parentes distantes, se encontrando apenas pela segunda vez em suas vidas. Este fora o segundo encontro que iniciou um profundo relacionamento que poderia mudar o curso da história.

Infeliz com a falta de respostas da vida real oferecido pelo Judaísmo ortodoxo tradicional, Rav Berg não era mais um Rabbi praticante. Mas algo o direcionou profundamente dentro dele ao encontrar o kabalista benevolente. Rav Berg pegou uma licença de seus negócios e começou a estudar com seu novo professor.

Antes deles começarem seus estudos, Rav Brandwein pediu ao seu ávido novo aluno para começar a embalar caixas com livros sobre Kabbalah. Levou poucos dias para o Rav Berg completar sua tarefa. Seu professor então pediu a ele para preparar os endereços e etiquetas de postagem. Ansioso para começar seu aprendizado, Rav Berg trabalhou o mais rápido que pôde, mas ainda levou uns poucos dias a mais. Ele finalmente terminou; mas o Shabbat chegou, então não havia tempo para estudar.

Rav Berg e Rav BrandweinAo pôr do sol da noite de Sábado, um frustrado Rav Berg deixava Israel para cuidar de algumas questões de negócios na América. Ao dizer até logo ao seu professor, ele não conseguia ajudar senão a reclamar que nada demais ele havia cumprido como meio de estudo. Ele havia viajado todo o trajeto vindo da América para aprender Kabbalah, mas ao invés disso passou todo seu tempo embalando livros. Rav Berg teve uma ideia: Em uma próxima vez pagaria prazerosamente para que outro alguém se encarregasse do encaixotamento para que ele pudesse passar um tempo mais valoroso estudando com seu professor.

Rav Brandwein olhou profundamente para ele e então sorriu. “Eu sinto que você não entende”, disse o kabalista.

“Se você se sentaria e estudaria comigo, quantas poderíamos possivelmente passar? Agora, quando milhares de pessoas passam apenas uma hora estudando os livros que você enviou para eles, você terá ganho para si milhares de horas de estudo antes mesmo de eu abrir minha boca!”

Rav Brandwein e seu aluno passaram muitos anos amáveis juntos em aprendizado profundo. E então, em 1969, Rav Brandwein começou a preparar o Kabbalah Centre para uma importante transição de poder. Ele escreveu a seguinte carta para seu aluno:

Agora que você se tornou o líder espiritual do Kabbalah Centre, eu preciso lhe contar  seu verdadeiro propósito. Nós [Rav Brandwein e Rav Ashlag] vimos como a sagrada Torá e religião foi usada para causar separação entre as pessoas. Então nós iniciamos o Kabbalah Centre com a aprovação do Rabbi chefe de Israel – Rav Kook e Rav Zonnenfeld. Era nossa missão ensinar os jovens, como está escrito no Zohar. Uma vez que as pessoas comecem seu caminho de conhecimento, elas olharão apenas para dentro, aprendendo como se corrigirem, ao invés de tentarem corrigir as outras pessoas.

Uma parte das cartas escritas a mão pelo Rav Brandwein para o Rav Berg durante estes importantes anos de estudo acabaram de ser publicados pela primeira vez em Inglês no livro intitulado “Beloved of My Soul” (Amado da Minha Alma). Estas cartas demonstram o profundo amor e aprendizado que ocorreu entre estes dois homens.

Rav Brandwein deixou o mundo físico em 1969 durante uma festividade de Pesach.