O Segredo da Palavra “Bênção” | por Michael Berg

A porção de Ekev é uma continuação do começo de Devarim, quando Moisés está prestes a deixar este mundo. Nele, ele nos ensina uma lição espiritual muito importante.

Moisés diz que depois que uma pessoa come ou participa de qualquer coisa deste mundo físico, ela deve abençoar a Deus – uverachta et Hashem eloheicha. Ao longo das orações – até mesmo o kadish, que é uma oração muito poderosa –, falamos sobre dar bênçãos ao Criador. Em termos religiosos, as pessoas entendem esse conceito de bênção de um modo ou de outro, agradecendo. Mas os kabalistas dizem que o Criador certamente não precisa dos nossos agradecimentos. Então, qual é a compreensão mais profunda deste conceito de abençoar o Criador?

Há uma explicação dada pelo kabalista Rabeinu Bachai, que nos diz que a antiga palavra hebraica brachah pode significar "bênção", que é a maneira pela qual ela é traduzida literalmente, mas também significa "um acréscimo" ou "fazer mais". Nós, através de nossas bênçãos e orações, acrescentamos ou damos mais poder à Luz do Criador. E esse é o segredo aqui: que através de nossas orações e bênçãos, nós realmente damos força e poder à Luz do Criador.

Rabeinu Bachai cita uma história no Talmude em que Ismael, o Sumo Sacerdote, entrou no Santo dos Santos no Templo de Jerusalém, e o Criador vem a ele e diz: “Ismael, meu filho, dê-me uma bênção”. O que isso significa? O que significa, que o Criador está pedindo a um homem que lhe dê uma bênção? Para que o Criador poderia precisar de uma bênção? O segredo dessa interação, como Moisés nos ensina na porção Ekev e Rabeinu Bachai nos diz, é que quando damos uma bênção ao Criador, acrescentamos força e um espírito de santidade aos Mundos Superiores. E nossas bênçãos, portanto, fazem com que o mundo receba mais da Luz do Criador.

Também está escrito que o Criador deseja e anseia por nossas orações. No entanto, o Criador já sabe o que nos falta ou o que qualquer um de nós precisa; assim, qual é o propósito de orar por algo que o Criador já conhece? O que significa dizer que o Criador deseja nossa oração? Voltando ao que eu mencionei antes, o segredo  vem da palavra brachah, que ela mesma vem de uma palavra similar a “fonte” – criar mais. Significa que nós criamos mais.

Isso, diz Rabeinu Bachai, é o segredo do conceito de bênção e oração. Isso não é, novamente, dar graças. Não é lembrar ao Criador o que nos falta. Mas que nós, através de nossas bênçãos, orações e trabalho espiritual, realmente damos ao Criador a habilidade de resplandecer Luz e bênçãos em nosso mundo.

Para aprofundar mais esse conceito, o propósito de nosso trabalho espiritual é criar canais pelos quais a Luz que existe e deseja ser revelada possa vir. Imagine uma enorme torre cheia de água e uma cidade com milhares de pessoas sedentas, mas ninguém pensou em conectar os canos através dos quais a água pode fluir da torre para a cidade. É assim que o nosso mundo  é hoje. A água é como a nossa satisfação, e o que não existe – ou certamente não existe o suficiente – são os canais e caminhos pelos quais a Luz pode fluir através do nosso mundo.

Quando oramos, quando fazemos uma conexão espiritual, o que estamos fazendo é criar um novo canal através do qual a Luz possa fluir para nossas vidas e para o mundo. E, assim, quando Moisés diz aos israelitas que o seu trabalho espiritual é uverachta et Hashem eloheicha – para dar a capacidade a Deus –, ele está dizendo que o Criador quer dar, mas Ele não consegue. Porque só nós podemos criar esses caminhos.

É uma compreensão tão linda e poderosa do nosso trabalho espiritual. O Criador deseja nossas orações, porque a Luz quer descer e preencher nossa necessidade ou falta, mas não há caminho para isso sem elas. Quando uma pessoa ora com a consciência certa, o que ela faz é criar um novo caminho para que a Luz de tudo pelo que ela está orando tenha um lugar para fluir. Esse é o propósito da oração. Esse é o propósito das bênçãos. Toda vez que uma pessoa faz uma bênção, o que ela faz é abrir um novo caminho.

É uma compreensão muito poderosa e significativa do propósito de nosso trabalho espiritual: “Eu vou criar um novo caminho pelo qual a Luz do Criador possa entrar em minha vida e neste mundo.” E o que esse entendimento faz além disso é nos esclarecer que nosso trabalho não é tão difícil: nós não estamos criando a Luz, não estamos criando satisfação, porque tudo isso já existe. Tudo o que temos a fazer é abrir os canais.

Criar a água é muito mais difícil do que coletar a água, e tudo o que precisamos fazer é perfurar um pequeno buraco na torre para que a água saia. Com essa consciência, entendemos que não existe uma ação pequena. Toda oração, conexão e ação de compartilhar abre esse canal.

 

→ clique aqui para ler outros artigos de Michael Berg

 

A porção de Ekev é uma continuação do começo de Devarim, quando Moisés está prestes a deixar este mundo. Nele, ele nos ensina uma lição espiritual muito importante.

Moisés diz que depois que uma pessoa come ou participa de qualquer coisa deste mundo físico, ela deve abençoar a Deus – uverachta et Hashem eloheicha. Ao longo das orações – até mesmo o kadish, que é uma oração muito poderosa –, falamos sobre dar bênçãos ao Criador. Em termos religiosos, as pessoas entendem esse conceito de bênção de um modo ou de outro, agradecendo. Mas os kabalistas dizem que o Criador certamente não precisa dos nossos agradecimentos. Então, qual é a compreensão mais profunda deste conceito de abençoar o Criador?

Há uma explicação dada pelo kabalista Rabeinu Bachai, que nos diz que a antiga palavra hebraica brachah pode significar "bênção", que é a maneira pela qual ela é traduzida literalmente, mas também significa "um acréscimo" ou "fazer mais". Nós, através de nossas bênçãos e orações, acrescentamos ou damos mais poder à Luz do Criador. E esse é o segredo aqui: que através de nossas orações e bênçãos, nós realmente damos força e poder à Luz do Criador.

Rabeinu Bachai cita uma história no Talmude em que Ismael, o Sumo Sacerdote, entrou no Santo dos Santos no Templo de Jerusalém, e o Criador vem a ele e diz: “Ismael, meu filho, dê-me uma bênção”. O que isso significa? O que significa, que o Criador está pedindo a um homem que lhe dê uma bênção? Para que o Criador poderia precisar de uma bênção? O segredo dessa interação, como Moisés nos ensina na porção Ekev e Rabeinu Bachai nos diz, é que quando damos uma bênção ao Criador, acrescentamos força e um espírito de santidade aos Mundos Superiores. E nossas bênçãos, portanto, fazem com que o mundo receba mais da Luz do Criador.

Também está escrito que o Criador deseja e anseia por nossas orações. No entanto, o Criador já sabe o que nos falta ou o que qualquer um de nós precisa; assim, qual é o propósito de orar por algo que o Criador já conhece? O que significa dizer que o Criador deseja nossa oração? Voltando ao que eu mencionei antes, o segredo  vem da palavra brachah, que ela mesma vem de uma palavra similar a “fonte” – criar mais. Significa que nós criamos mais.

Isso, diz Rabeinu Bachai, é o segredo do conceito de bênção e oração. Isso não é, novamente, dar graças. Não é lembrar ao Criador o que nos falta. Mas que nós, através de nossas bênçãos, orações e trabalho espiritual, realmente damos ao Criador a habilidade de resplandecer Luz e bênçãos em nosso mundo.

Para aprofundar mais esse conceito, o propósito de nosso trabalho espiritual é criar canais pelos quais a Luz que existe e deseja ser revelada possa vir. Imagine uma enorme torre cheia de água e uma cidade com milhares de pessoas sedentas, mas ninguém pensou em conectar os canos através dos quais a água pode fluir da torre para a cidade. É assim que o nosso mundo  é hoje. A água é como a nossa satisfação, e o que não existe – ou certamente não existe o suficiente – são os canais e caminhos pelos quais a Luz pode fluir através do nosso mundo.

Quando oramos, quando fazemos uma conexão espiritual, o que estamos fazendo é criar um novo canal através do qual a Luz possa fluir para nossas vidas e para o mundo. E, assim, quando Moisés diz aos israelitas que o seu trabalho espiritual é uverachta et Hashem eloheicha – para dar a capacidade a Deus –, ele está dizendo que o Criador quer dar, mas Ele não consegue. Porque só nós podemos criar esses caminhos.

É uma compreensão tão linda e poderosa do nosso trabalho espiritual. O Criador deseja nossas orações, porque a Luz quer descer e preencher nossa necessidade ou falta, mas não há caminho para isso sem elas. Quando uma pessoa ora com a consciência certa, o que ela faz é criar um novo caminho para que a Luz de tudo pelo que ela está orando tenha um lugar para fluir. Esse é o propósito da oração. Esse é o propósito das bênçãos. Toda vez que uma pessoa faz uma bênção, o que ela faz é abrir um novo caminho.

É uma compreensão muito poderosa e significativa do propósito de nosso trabalho espiritual: “Eu vou criar um novo caminho pelo qual a Luz do Criador possa entrar em minha vida e neste mundo.” E o que esse entendimento faz além disso é nos esclarecer que nosso trabalho não é tão difícil: nós não estamos criando a Luz, não estamos criando satisfação, porque tudo isso já existe. Tudo o que temos a fazer é abrir os canais.

Criar a água é muito mais difícil do que coletar a água, e tudo o que precisamos fazer é perfurar um pequeno buraco na torre para que a água saia. Com essa consciência, entendemos que não existe uma ação pequena. Toda oração, conexão e ação de compartilhar abre esse canal.

 

→ clique aqui para ler outros artigos de Michael Berg