O Poder da União | por Karen Berg

Estamos entrando na última das três semanas mais negativas do ano, e, primeiro, eu gostaria de lhe perguntar: Como você está? Caso esteja passando por um momento difícil, fique firme. É sempre maior a escuridão logo antes do amanhecer e em breve as coisas ficarão melhor.

Na porção desta semana de Devarim, Moisés reúne todo o povo para aconselhá-lo; para lembrá-los dos muitos momentos em que eles reclamaram, perderam a confiança, idolatraram falsos ídolos, e assim por diante.

Há muitos detalhes descrevendo como Moisés falou ao povo, muitos dos quais podemos pegar dicas sobre de que forma agir em relação aos outros. Por exemplo, antes de Moisés dizer qualquer coisa, ele perguntava: “Eu tirei algo de você? Eu lhe magoei?” porque antes de podermos dizer a alguém o que ela precisa mudar, primeiro devemos olhar internamente e enxergar o que devemos mudar. Sinceramente, há muitos belos aspectos desta porção, no entanto, eu creio que focar em um somente fortalecerá nossa habilidade para internalizar o aprendizado.

Moisés não reuniu apenas parte das pessoas, ele reuniu todas elas. E muitas não haviam participado das ações que eram o alvo de sua crítica. Toda uma geração havia chegado e partido! Por que Moisés reuniu mesmo aqueles que não participaram de toda a negatividade que ele estava descrevendo? Pode ser difícil entender isto na prática, mas, espiritualmente, Moisés estava apenas interessado em revelar Luz - não em repreender as pessoas para aliviar sua própria frustração. Quanto maior fosse o grupo, maior seria a Luz que ele poderia revelar, e desta forma transformar a negatividade que havia sido criada em positividade.

Está escrito no Zohar que, independente de  nossas próprias ações negativas e nossos traços de caráter, toda pessoa neste mundo é cheia de Luz.  Portanto, quanto mais pessoas estiverem juntas em favor da transformação e do bem, maior ainda será a Luz do Criador a brilhar no mundo.

É exatamente por isto que temos eventos internacionais em nossas maiores aberturas cósmicas, quando podemos reunir pessoas de todos os cantos do mundo como uma comunidade espiritual global diversificada. É por isto que criamos Centros e grupos de estudo em vários lugares, para podermos não só aprender, mas também praticar o que aprendemos juntos. Esta é uma compreensão espiritual muito importante.

Sendo esta semana a última das semanas negativas, é uma ótima oportunidade para buscar o caminho para revelar a Luz:  Onde tendemos a querer ficar fechados em nossas conchas, nos esconder do mundo, ou rastejar até a cama e dizer: “Deixem-me em paz!”, podemos, ao invés, aprender com a porção desta semana. Enquanto estivermos juntos, temos o poder de trazer Luz a qualquer escuridão, e de transformar o negativo em positivo.

Pelos próximos sete dias, fiquemos juntos pelo bem. Saiamos do isolamento, da zona de conforto, e fazendo assim, encontraremos pessoas novas, bonitas faíscas de Luz com quem, de algum modo, ainda não nos conectamos. Vamos perguntar à pessoa que está almoçando sozinha se quer almoçar conosco. Vamos procurar as pessoas em nossas vidas que sabemos que estão sozinhas ou sofrendo, e tentar convidá-las para nossas atividades. O que eu estou tentando dizer é: apenas fiquemos juntos.

→ clique aqui para ler outros artigos de Karen Berg

Estamos entrando na última das três semanas mais negativas do ano, e, primeiro, eu gostaria de lhe perguntar: Como você está? Caso esteja passando por um momento difícil, fique firme. É sempre maior a escuridão logo antes do amanhecer e em breve as coisas ficarão melhor.

Na porção desta semana de Devarim, Moisés reúne todo o povo para aconselhá-lo; para lembrá-los dos muitos momentos em que eles reclamaram, perderam a confiança, idolatraram falsos ídolos, e assim por diante.

Há muitos detalhes descrevendo como Moisés falou ao povo, muitos dos quais podemos pegar dicas sobre de que forma agir em relação aos outros. Por exemplo, antes de Moisés dizer qualquer coisa, ele perguntava: “Eu tirei algo de você? Eu lhe magoei?” porque antes de podermos dizer a alguém o que ela precisa mudar, primeiro devemos olhar internamente e enxergar o que devemos mudar. Sinceramente, há muitos belos aspectos desta porção, no entanto, eu creio que focar em um somente fortalecerá nossa habilidade para internalizar o aprendizado.

Moisés não reuniu apenas parte das pessoas, ele reuniu todas elas. E muitas não haviam participado das ações que eram o alvo de sua crítica. Toda uma geração havia chegado e partido! Por que Moisés reuniu mesmo aqueles que não participaram de toda a negatividade que ele estava descrevendo? Pode ser difícil entender isto na prática, mas, espiritualmente, Moisés estava apenas interessado em revelar Luz - não em repreender as pessoas para aliviar sua própria frustração. Quanto maior fosse o grupo, maior seria a Luz que ele poderia revelar, e desta forma transformar a negatividade que havia sido criada em positividade.

Está escrito no Zohar que, independente de  nossas próprias ações negativas e nossos traços de caráter, toda pessoa neste mundo é cheia de Luz.  Portanto, quanto mais pessoas estiverem juntas em favor da transformação e do bem, maior ainda será a Luz do Criador a brilhar no mundo.

É exatamente por isto que temos eventos internacionais em nossas maiores aberturas cósmicas, quando podemos reunir pessoas de todos os cantos do mundo como uma comunidade espiritual global diversificada. É por isto que criamos Centros e grupos de estudo em vários lugares, para podermos não só aprender, mas também praticar o que aprendemos juntos. Esta é uma compreensão espiritual muito importante.

Sendo esta semana a última das semanas negativas, é uma ótima oportunidade para buscar o caminho para revelar a Luz:  Onde tendemos a querer ficar fechados em nossas conchas, nos esconder do mundo, ou rastejar até a cama e dizer: “Deixem-me em paz!”, podemos, ao invés, aprender com a porção desta semana. Enquanto estivermos juntos, temos o poder de trazer Luz a qualquer escuridão, e de transformar o negativo em positivo.

Pelos próximos sete dias, fiquemos juntos pelo bem. Saiamos do isolamento, da zona de conforto, e fazendo assim, encontraremos pessoas novas, bonitas faíscas de Luz com quem, de algum modo, ainda não nos conectamos. Vamos perguntar à pessoa que está almoçando sozinha se quer almoçar conosco. Vamos procurar as pessoas em nossas vidas que sabemos que estão sozinhas ou sofrendo, e tentar convidá-las para nossas atividades. O que eu estou tentando dizer é: apenas fiquemos juntos.

→ clique aqui para ler outros artigos de Karen Berg