Previsão astrológica de 25 a 31 de março de 2018 | por Yael Yardeni

Uma semana muito especial se revela à medida que nos preparamos para nossa grande batalha anual: o dia inteiro de Pêssach e a Lua Cheia de Áries! Como explicamos na semana passada, toda batalha e vitória do ano é decidida nesta noite de Lua Cheia, também referida como Seder, que em hebraico significa ordem. Vamos examinar o mapa desse evento para entender melhor a energia global que brilha no mundo este ano.

A primeira característica óbvia é a enorme quantidade de fogo no mapa. Mas, claro, estamos no mês do carneiro. Ainda assim... Sol, Mercúrio, Urano e Vênus estão todos em Áries. Mercúrio está no meio de seu movimento retrógrado, que é de 23 de março a 15 de abril. Marte, a estrela do desfile deste mês, está decentemente colocado no perseverante Capricórnio, mas Saturno e Plutão também! Que energia intensa!

Um grande kabalista e astrólogo medieval de nome Rav Abraham Ibn Ezra escreveu que quando os dois corpos celestes maléficos, Marte e Saturno, estão juntos, eles cancelam os efeitos negativos um do outro. Para nós, isso é uma grande bênção, já que esse trio não demonstrou boas notícias de outra maneira!

Além disso, Plutão impulsiona o mundo a buscar profundidade e fazer perguntas mais nítidas sobre onde realmente pertencemos. O domínio relevante para isso é a quarta casa - a casa das raízes ou o nosso “lar”, que representa nossos desejos mais verdadeiros e um senso de pertencer. Júpiter na segunda casa, retrógrado em Escorpião, criará o mesmo efeito em nível individual, ajudando-nos a verificar o que realmente queremos para nós mesmos. De certa forma, toda a humanidade é levada adiante para buscar um significado mais profundo da vida, e isso é uma ótima notícia!

A Lua está no responsável Virgem, acrescentando uma nota de cuidado e humildade, especialmente porque está localizada na 12ª casa - o domínio do subconsciente e invisível. Então, onde está a pegadinha? Resposta: a zona de guerra de Áries - os mal-entendidos criados pelo desejo Ariano de ser visto como uma grande pessoa. Todos nós agonizamos com a ideia de que podemos não ser apreciados, ou mesmo vistos por outros. Esse medo esmagador de rejeição, ou falta de reconhecimento, é exatamente com o que estaremos lidando durante toda esta festividade.

É hora de aceitar o desafio e nos desconectar do que as pessoas pensam de nós. Esse é o maior presente que essa festividade oferece: tornar-se inteiro novamente, reconectando-se com quem sua alma é, independentemente da opinião e das expectativas dos outros. Isso significa que devemos ser provocativos e insensíveis? Muito pelo contrário! Todos os principais planetas estão na sétima casa, representando parceria e harmonia!

No entanto, é somente com um forte senso de autopropósito e participação que podemos vencer todas as batalhas do ano que está por vir. Meditem neste dia inteiro para se reconectarem com os seus eus mais elevados e verdadeiros. Que todos nós tenhamos uma grande e significativa conexão em Pêssach!

→ clique aqui para ler outras previsões astrológicas de Yael Yardeni