Fazer pelos Outros | por Karen Berg

A porção desta semana é Ki Tetze, que abre com as palavras: Ki tetze la milchamah. Normalmente é traduzido como “Quando você vai para a guerra”. Embora a palavra ki não queira realmente dizer quando, mas porquê. Em poucas palavras, o começo da porção desta semana nos diz: Porque você vai para a guerra contra seus inimigos, você está certo de que vai ter sucesso.

Então, sobre o que se trata toda esta conversa de guerra e inimigos? Aparentemente, não parece ser muito espiritual. Sem falar que a história nos mostra que isto também não é verdade. Sempre existiram inimigos, e não é porque vamos à guerra e batalhamos que iremos vencer. E a cada inimigo eliminado, um novo (ou dois, três ou quatro) aparecem no lugar. Como a guerra pode por qualquer forma ser considerada um sucesso?

Felizmente, temos o Zohar e a sabedoria dos grandes kabalistas para nos enviar Luz.

Uma coisa que aprendemos em nossos estudos no Kabbalah Centre é que o que a porção da Bíblia está falando não é sobre um inimigo externo, mas é sobre nossas próprias reações negativas, contra as quais devemos guerrear. É por isto que Rav Berg chamava o lugar onde fazemos conexões de “sala de guerra”, porque é por meio das nossas conexões que recebemos a energia para fazer esta guerra interna. Com esta compreensão, podemos começar a examinar a batalha espiritual contra nossa própria negatividade em que ficamos envolvidos diariamente. Esta é a batalha que temos garantia de vencer porque escolhemos aceitar fazê-la. Não importa quantas vezes possamos cair.

O Rav dizia com frequência que a batalha do Armagedon será uma guerra de pensamentos, uma guerra de consciência. É a batalha entre o pequeno anjo que sussurra: “Faça pelos outros”, e o pequeno diabo que sussurra: “Tome conta de você mesmo”. Ou aquela pequena voz que diz: “Eu estou certo e eles estão errados”.

É interessante notar que lemos a porção de Ki Tetze apenas duas semanas antes de Rosh Hashanah. Há um incentivo no universo agora que pode nos assistir nesta saudável guerra interna, de modo que possamos dar novos passos em direção à profunda transformação de nosso ser, e chegar ao dia do julgamento como uma nova pessoa.

Nesta semana, note em que momentos você está propenso a ouvir a voz que susurra “Faça só para você mesmo”, e ative seu livre arbítrio para escolher, ao invés disso, “fazer pelos outros”. Esta simples (mas nem sempre fácil) escolha que pode nos dar controle sobre nossos pensamentos, bem como a habilidade para derrotar a negatividade com positividade, ambas dentro de nós interior e para o mundo.

E lembre-se: Porque escolhemos sair para esta batalha espiritual, temos a garantia de que iremos vencer.

 

→ clique aqui para ler outros artigos de Karen Berg

 

A porção desta semana é Ki Tetze, que abre com as palavras: Ki tetze la milchamah. Normalmente é traduzido como “Quando você vai para a guerra”. Embora a palavra ki não queira realmente dizer quando, mas porquê. Em poucas palavras, o começo da porção desta semana nos diz: Porque você vai para a guerra contra seus inimigos, você está certo de que vai ter sucesso.

Então, sobre o que se trata toda esta conversa de guerra e inimigos? Aparentemente, não parece ser muito espiritual. Sem falar que a história nos mostra que isto também não é verdade. Sempre existiram inimigos, e não é porque vamos à guerra e batalhamos que iremos vencer. E a cada inimigo eliminado, um novo (ou dois, três ou quatro) aparecem no lugar. Como a guerra pode por qualquer forma ser considerada um sucesso?

Felizmente, temos o Zohar e a sabedoria dos grandes kabalistas para nos enviar Luz.

Uma coisa que aprendemos em nossos estudos no Kabbalah Centre é que o que a porção da Bíblia está falando não é sobre um inimigo externo, mas é sobre nossas próprias reações negativas, contra as quais devemos guerrear. É por isto que Rav Berg chamava o lugar onde fazemos conexões de “sala de guerra”, porque é por meio das nossas conexões que recebemos a energia para fazer esta guerra interna. Com esta compreensão, podemos começar a examinar a batalha espiritual contra nossa própria negatividade em que ficamos envolvidos diariamente. Esta é a batalha que temos garantia de vencer porque escolhemos aceitar fazê-la. Não importa quantas vezes possamos cair.

O Rav dizia com frequência que a batalha do Armagedon será uma guerra de pensamentos, uma guerra de consciência. É a batalha entre o pequeno anjo que sussurra: “Faça pelos outros”, e o pequeno diabo que sussurra: “Tome conta de você mesmo”. Ou aquela pequena voz que diz: “Eu estou certo e eles estão errados”.

É interessante notar que lemos a porção de Ki Tetze apenas duas semanas antes de Rosh Hashanah. Há um incentivo no universo agora que pode nos assistir nesta saudável guerra interna, de modo que possamos dar novos passos em direção à profunda transformação de nosso ser, e chegar ao dia do julgamento como uma nova pessoa.

Nesta semana, note em que momentos você está propenso a ouvir a voz que susurra “Faça só para você mesmo”, e ative seu livre arbítrio para escolher, ao invés disso, “fazer pelos outros”. Esta simples (mas nem sempre fácil) escolha que pode nos dar controle sobre nossos pensamentos, bem como a habilidade para derrotar a negatividade com positividade, ambas dentro de nós interior e para o mundo.

E lembre-se: Porque escolhemos sair para esta batalha espiritual, temos a garantia de que iremos vencer.

 

→ clique aqui para ler outros artigos de Karen Berg