Devido a pandemia global de covid-19 todas nossas aulas tem ocorrido online através da nossa plataforma EAD. Clique aqui para acessar.
Lembre-se que seu apoio é fundamental para a manutenção do Kabbalah Centre, principalmente neste momento. Se quiser ser parte de nossos projetos, doe aqui!

Contando os Israelitas | por Michael Berg

Há um ensinamento no Tiferet Shlomo sobre a canção Shalom Aleichem, que também tem a ver com a porção de Bamidbar. Está escrito que, se você ler a história literal, Moisés e Aarão estão contando os israelitas. O Tiferet Shlomo pergunta sobre o que essa ideia de contagem está realmente falando: está realmente falando sobre a contagem das pessoas físicas?

Está escrito em Tehilim, nos Salmos, que os anjos circundam o indivíduo, e sabemos que um anjo é criado a partir de cada ação espiritual que uma pessoa faz. Assim, quando se diz que o Criador fala a Moisés e Aarão para contarem os israelitas, "Elohei Tzevaot", que se traduz como "a Luz dos exércitos", refere-se aos anjos que esses indivíduos criaram. Imagine: você está diante de Moisés e ele diz que você tem, por exemplo, cinco anjos ao seu redor? Esse é o processo que aconteceu naquela época, e é também o que acontece neste Shabat. É como se fôssemos radiografados por Moisés e Aarão. Eles vêm a cada um de nós, e avaliam quantos anjos temos ao nosso redor.

Em seguida,  é explicado o processo dos anjos, que ocorre todas as semanas. Todos os dias da semana, criamos os corpos dos anjos sem a sua alma, e quando nos conectamos no Shabat, esses anjos recebem suas almas. Na verdade, parte da emoção que temos na noite de sexta-feira vem dos anjos que estão ansiosos para receberem suas almas; e todo o trabalho que fazemos durante a semana não nos dará Luz a menos que injetemos as almas nesses anjos.

Então, agora podemos entender o poder da canção Shalom Aleichem. Quando damos as boas-vindas aos anjos, estamos recebendo os anjos que criamos, corpos ainda sem almas. Através da conexão da noite de sexta-feira, e especificamente através da canção Shalom Aleichem, estamos injetando almas nesses anjos. Nós os convidamos e, quando estão vivos, dizemos aos anjos: "Agora vocês podem me dar as bênçãos da Luz que eu criei". E, então, os deixamos ir, porque depois de terem recebido sua alma e de terem nos dado as bênçãos de sua Luz, eles podem ir para o seu verdadeiro lugar de repouso.

Também nessa porção, o Criador diz a Moisés e a Aarão: "Quando estiverem contando os israelitas, levem consigo os líderes das tribos". É dito em um dos comentários sobre esse assunto, em Pirkei Avot: "Sua casa deve ser um lugar onde os sábios, as grandes almas e os grandes estudiosos vêm e se reúnem". Num entendimento literal desse Mishnah, isso não faz sentido. Mas o que isso significa é que, se uma pessoa faz uma ação da maneira correta, ela recebe uma quantidade da alma de uma pessoa justa que deixou este mundo. Em seu comentário no Sulam, Rav Ashlag diz que uma pessoa não pode crescer espiritualmente a menos que receba a assistência e pequenas partes da alma de uma pessoa justa, chamado ibur.

Há três maneiras principais que podemos merecer um ibur. Uma é fazendo uma ação pela qual o justo era conhecido, da fonte de sua alma. Por exemplo, a grande ação do Rav Pinchas ben Yair era compartilhar. Então, se uma pessoa faz uma grande ação de compartilhar, pode provavelmente obter a centelha da alma de Rav Pinchas ben Yair; ou se uma pessoa tem grande humildade, que era uma das qualidades de Moisés, ela pode receber uma centelha da Luz de Moisés.

A segunda maneira é através do estudo. Quando lemos o Zohar, por exemplo, recebemos uma injeção de ibur, uma centelha de Luz da alma de Rav Shimon Bar Yochai. E o terceiro caminho é ir aos sepulcros dos justos. Fazemos isso para pedir que uma parte de sua alma entre em nossa alma.

Assim, quando é dito no Pirkei Avot: "Sua casa deve ser sempre um lugar onde os justos vêm", significa que devemos sempre estar despertando a nós mesmos para a necessidade e a importância de receber ajuda e faíscas dos justos. Mas também é dito que sua casa precisa ser um lugar onde essas almas venham o tempo todo, não apenas de vez em quando. Portanto, temos que nos perguntar: esta semana, que almas, que iburim, eu trouxe para a minha casa, para o meu corpo?

Precisa ser um processo constante de trazer iburim, de trazer assistência. É uma das mais importantes preparações para Shavuot, a fim de receber a Luz de Bila HaMavet LaNetzach, a Remoção da Morte, e, portanto, sempre lemos Bamidbar antes de Shavuot, porque é o que nos prepara.

O Criador diz a Moisés e Aarão que este Shabat é o segredo dos iburim, da ajuda que será dada pelas almas justas da história. O Criador lhes diz que não são só eles que devem se preparar para dar uma centelha de suas almas aos israelitas, mas também preparar todas as almas justas para descerem e verem quem está pronto para receber um iburim – não apenas agora, mas também neste ano. Se merecermos nos conectar com o poder do ibur neste Shabat, cada um de nós poderá merecer receber a Luz de Shavuot.

Neste Shabat antes de Shavuot, todas as almas elevadas descem para nos dar o auxílio para recebermos a dádiva de Bila HaMavet LaNetzach. E, assim, quando o Criador diz a Moisés e Aarão para contarem os israelitas, eles também estão enxergando quantos iburim, quantas faíscas de almas de diferentes pessoas justas, cada um tem. Moisés e Aarão reúnem todas as almas justas que descem ao nosso mundo e veem quem está pronto e desejando um ibur. E eles não só nos dão esse ibur neste Shabat, mas vão mais além: eles nos dão a força para mudarmos a maneira como enxergamos nossa vida espiritual.

 

→ clique aqui para ler outros artigos de Michael Berg

 

 

Há um ensinamento no Tiferet Shlomo sobre a canção Shalom Aleichem, que também tem a ver com a porção de Bamidbar. Está escrito que, se você ler a história literal, Moisés e Aarão estão contando os israelitas. O Tiferet Shlomo pergunta sobre o que essa ideia de contagem está realmente falando: está realmente falando sobre a contagem das pessoas físicas?

Está escrito em Tehilim, nos Salmos, que os anjos circundam o indivíduo, e sabemos que um anjo é criado a partir de cada ação espiritual que uma pessoa faz. Assim, quando se diz que o Criador fala a Moisés e Aarão para contarem os israelitas, "Elohei Tzevaot", que se traduz como "a Luz dos exércitos", refere-se aos anjos que esses indivíduos criaram. Imagine: você está diante de Moisés e ele diz que você tem, por exemplo, cinco anjos ao seu redor? Esse é o processo que aconteceu naquela época, e é também o que acontece neste Shabat. É como se fôssemos radiografados por Moisés e Aarão. Eles vêm a cada um de nós, e avaliam quantos anjos temos ao nosso redor.

Em seguida,  é explicado o processo dos anjos, que ocorre todas as semanas. Todos os dias da semana, criamos os corpos dos anjos sem a sua alma, e quando nos conectamos no Shabat, esses anjos recebem suas almas. Na verdade, parte da emoção que temos na noite de sexta-feira vem dos anjos que estão ansiosos para receberem suas almas; e todo o trabalho que fazemos durante a semana não nos dará Luz a menos que injetemos as almas nesses anjos.

Então, agora podemos entender o poder da canção Shalom Aleichem. Quando damos as boas-vindas aos anjos, estamos recebendo os anjos que criamos, corpos ainda sem almas. Através da conexão da noite de sexta-feira, e especificamente através da canção Shalom Aleichem, estamos injetando almas nesses anjos. Nós os convidamos e, quando estão vivos, dizemos aos anjos: "Agora vocês podem me dar as bênçãos da Luz que eu criei". E, então, os deixamos ir, porque depois de terem recebido sua alma e de terem nos dado as bênçãos de sua Luz, eles podem ir para o seu verdadeiro lugar de repouso.

Também nessa porção, o Criador diz a Moisés e a Aarão: "Quando estiverem contando os israelitas, levem consigo os líderes das tribos". É dito em um dos comentários sobre esse assunto, em Pirkei Avot: "Sua casa deve ser um lugar onde os sábios, as grandes almas e os grandes estudiosos vêm e se reúnem". Num entendimento literal desse Mishnah, isso não faz sentido. Mas o que isso significa é que, se uma pessoa faz uma ação da maneira correta, ela recebe uma quantidade da alma de uma pessoa justa que deixou este mundo. Em seu comentário no Sulam, Rav Ashlag diz que uma pessoa não pode crescer espiritualmente a menos que receba a assistência e pequenas partes da alma de uma pessoa justa, chamado ibur.

Há três maneiras principais que podemos merecer um ibur. Uma é fazendo uma ação pela qual o justo era conhecido, da fonte de sua alma. Por exemplo, a grande ação do Rav Pinchas ben Yair era compartilhar. Então, se uma pessoa faz uma grande ação de compartilhar, pode provavelmente obter a centelha da alma de Rav Pinchas ben Yair; ou se uma pessoa tem grande humildade, que era uma das qualidades de Moisés, ela pode receber uma centelha da Luz de Moisés.

A segunda maneira é através do estudo. Quando lemos o Zohar, por exemplo, recebemos uma injeção de ibur, uma centelha de Luz da alma de Rav Shimon Bar Yochai. E o terceiro caminho é ir aos sepulcros dos justos. Fazemos isso para pedir que uma parte de sua alma entre em nossa alma.

Assim, quando é dito no Pirkei Avot: "Sua casa deve ser sempre um lugar onde os justos vêm", significa que devemos sempre estar despertando a nós mesmos para a necessidade e a importância de receber ajuda e faíscas dos justos. Mas também é dito que sua casa precisa ser um lugar onde essas almas venham o tempo todo, não apenas de vez em quando. Portanto, temos que nos perguntar: esta semana, que almas, que iburim, eu trouxe para a minha casa, para o meu corpo?

Precisa ser um processo constante de trazer iburim, de trazer assistência. É uma das mais importantes preparações para Shavuot, a fim de receber a Luz de Bila HaMavet LaNetzach, a Remoção da Morte, e, portanto, sempre lemos Bamidbar antes de Shavuot, porque é o que nos prepara.

O Criador diz a Moisés e Aarão que este Shabat é o segredo dos iburim, da ajuda que será dada pelas almas justas da história. O Criador lhes diz que não são só eles que devem se preparar para dar uma centelha de suas almas aos israelitas, mas também preparar todas as almas justas para descerem e verem quem está pronto para receber um iburim – não apenas agora, mas também neste ano. Se merecermos nos conectar com o poder do ibur neste Shabat, cada um de nós poderá merecer receber a Luz de Shavuot.

Neste Shabat antes de Shavuot, todas as almas elevadas descem para nos dar o auxílio para recebermos a dádiva de Bila HaMavet LaNetzach. E, assim, quando o Criador diz a Moisés e Aarão para contarem os israelitas, eles também estão enxergando quantos iburim, quantas faíscas de almas de diferentes pessoas justas, cada um tem. Moisés e Aarão reúnem todas as almas justas que descem ao nosso mundo e veem quem está pronto e desejando um ibur. E eles não só nos dão esse ibur neste Shabat, mas vão mais além: eles nos dão a força para mudarmos a maneira como enxergamos nossa vida espiritual.

 

→ clique aqui para ler outros artigos de Michael Berg