Devido a pandemia global de covid-19 todas nossas aulas tem ocorrido online através da nossa plataforma EAD. Clique aqui para acessar.
Lembre-se que seu apoio é fundamental para a manutenção do Kabbalah Centre, principalmente neste momento. Se quiser ser parte de nossos projetos, doe aqui!

Bondade despretensiosa | por Karen Berg

Eu sempre adorei Os Miseráveis, de Victor Hugo, pois nele o herói da história se redime, e ressurge através de um poderoso e transformador ato de bondade.
O principal personagem do livro é Jean Valjean, um condenado, que ficou injustamente preso por 19 anos, por roubar um pedaço de pão para dar a sua irmã faminta.
Na cena de abertura, Valjean, recentemente em liberdade e considerado um fora da lei pela sociedade, é abrigado pelo Bispo Muriel, um generoso e hospitaleiro anfitrião, sobre quem o narrador escreve:

"A tristeza que reinava em toda parte era nada mais que um pretexto para a constante gentileza”

Valjean, que está receoso, amargo e desesperançoso com a vida, rouba prata do gentil Bispo, antes de desaparecer na noite. Logo ele é pego pela polícia, que o traz de volta ao Bispo para devolver as coisas roubadas. Mas quando a polícia conta ao Bispo que achou a prata na sacola de Valjean, o Bispo diz a eles que havia dado de presente a Valjean. Então, ele repreende Valjean por não ter pego o candelabro também.

Quando a polícia sai, o Bispo diz a Valjean para usar as coisas para se tornar um homem bom e honrado. E é neste momento de bondade sem nenhum motivo, que o coração de Valjean se voltou para a Luz. Por anos, ele sofreu com raiva e amargura, por ter ficado preso injustamente por tanto tempo. Agora, nesta cena, sua fé é restaurada. Um jorro de perdão derrete seu coração. A gentileza do bispo atravessa a armadura em volta de seu coração, e seu espírito desperta. No decorrer do livro, podemos ver como esta única situação transformadora continua a afetar e mudar muito mais pessoas para melhor.

Muitas vezes pensamos que não há como mudar uma situação. Já se passou tanto tempo, nós podemos ter sofrido uma injustiça, ou nos sentimos no direito de continuar com raiva e amargura. Algumas vezes caímos na ilusão de desesperança, esquecendo que a abrangente e ampla Luz do Criador está conosco em todas as circunstâncias. Mas a história mostra que em um instante, um único ato de bondade, de generosidade, pode mudar tudo. E mais, cada um de nós tem o poder de ser esta força reparadora de bondade para alguém.

Nesta semana, estudantes dos Kabbalah Centres irão se reunir nas Sukkahs, em todos os cantos do mundo, para atrair a energia de misericórdia, bondade e amor para todas as nações. Sukkot é uma abertura cósmica através da qual este amor fluirá em nós como um rio que pode extinguir o egoísmo e a dor que permeia a humanidade.

Que nossos corações se abram para essa transformação, e que possamos assim, replicá-la e compartilhá-la com toda a humanidade no próximo ano.

→ clique aqui para ler outros artigos de Karen Berg

 

Eu sempre adorei Os Miseráveis, de Victor Hugo, pois nele o herói da história se redime, e ressurge através de um poderoso e transformador ato de bondade.
O principal personagem do livro é Jean Valjean, um condenado, que ficou injustamente preso por 19 anos, por roubar um pedaço de pão para dar a sua irmã faminta.
Na cena de abertura, Valjean, recentemente em liberdade e considerado um fora da lei pela sociedade, é abrigado pelo Bispo Muriel, um generoso e hospitaleiro anfitrião, sobre quem o narrador escreve:

"A tristeza que reinava em toda parte era nada mais que um pretexto para a constante gentileza”

Valjean, que está receoso, amargo e desesperançoso com a vida, rouba prata do gentil Bispo, antes de desaparecer na noite. Logo ele é pego pela polícia, que o traz de volta ao Bispo para devolver as coisas roubadas. Mas quando a polícia conta ao Bispo que achou a prata na sacola de Valjean, o Bispo diz a eles que havia dado de presente a Valjean. Então, ele repreende Valjean por não ter pego o candelabro também.

Quando a polícia sai, o Bispo diz a Valjean para usar as coisas para se tornar um homem bom e honrado. E é neste momento de bondade sem nenhum motivo, que o coração de Valjean se voltou para a Luz. Por anos, ele sofreu com raiva e amargura, por ter ficado preso injustamente por tanto tempo. Agora, nesta cena, sua fé é restaurada. Um jorro de perdão derrete seu coração. A gentileza do bispo atravessa a armadura em volta de seu coração, e seu espírito desperta. No decorrer do livro, podemos ver como esta única situação transformadora continua a afetar e mudar muito mais pessoas para melhor.

Muitas vezes pensamos que não há como mudar uma situação. Já se passou tanto tempo, nós podemos ter sofrido uma injustiça, ou nos sentimos no direito de continuar com raiva e amargura. Algumas vezes caímos na ilusão de desesperança, esquecendo que a abrangente e ampla Luz do Criador está conosco em todas as circunstâncias. Mas a história mostra que em um instante, um único ato de bondade, de generosidade, pode mudar tudo. E mais, cada um de nós tem o poder de ser esta força reparadora de bondade para alguém.

Nesta semana, estudantes dos Kabbalah Centres irão se reunir nas Sukkahs, em todos os cantos do mundo, para atrair a energia de misericórdia, bondade e amor para todas as nações. Sukkot é uma abertura cósmica através da qual este amor fluirá em nós como um rio que pode extinguir o egoísmo e a dor que permeia a humanidade.

Que nossos corações se abram para essa transformação, e que possamos assim, replicá-la e compartilhá-la com toda a humanidade no próximo ano.

→ clique aqui para ler outros artigos de Karen Berg