Atos de Amor | Por Karen Berg

Mostrar amor a outro ser humano é mostrar a ele a face do Divino.

Somos feitos de Amor. Esta é a verdadeira qualidade do Criador, e portanto, também é a essência de nossas almas.

Tenho que ser sincera. Muitos anos atrás, quando eu li pela primeira vez Vayakhel-Pekudei, eu achei estes capítulos os menos interessantes de toda a Bíblia. No entanto, com a ajuda do Zohar e dos comentários dos grandes kabalistas, eu vim a apreciar melhor estas histórias e seus significados. Em consequência, a lição desta semana talvez tenha se tornado inquestionavelmente uma das minhas favoritas.

Deus instrui Moisés, “Construam para mim um Tabernáculo, para que possa habitar em vocês.” Vayakhel e Pekudei, ambos discutem muitos detalhes que entraram na construção do Tabernáculo, e tudo o que era necessário para esta construção ser um lugar onde a Luz do Criador pudesse habitar. Há muitas mensagens em código em meio às instruções que Deus dá a Moisés, as dimensões do Tabernáculo, e como isto deve ser manifestado. Mas, o mais interessante é que há 13 diferentes materiais usados para criar este lugar.

Aprendemos no estudo da Kabbalah que o número 13 tem grande significado, porque tem o valor numérico da palavra ‘Amor’.

Claro que não temos hoje um Tabernáculo físico, e portanto depende de cada um de nós estabelecer um lugar onde o Criador possa habitar dentro de cada um. Como podemos gerar tal espaço? A numerologia nos oferece a resposta. O Tabernáculo agora, assim como no passado, deve ser criado com amor.

Compartilhar um ato de amor com o outro não exige que seja romântico. Podemos demonstrar atos de amor aos amigos, colegas  de trabalho, familiares, até mesmo a pessoas totalmente estranhas. Quando procuramos o que é bom em alguém, ao invés do que é ruim, este é um ato de amor. Quando damos a mão a um estranho em situação de necessidade, isto também é amor manifesto. Todo momento que usarmos nosso livre arbítrio para estender nossa mão a outro ser humano será, realmente, um momento constituído desse sentimento. É nessas expressões divinas que criamos dentro de nós um espaço para o Criador habitar.

Note que o Criador não diz “Construam para mim um Tabernáculo, para que possa habitar entre vocês”, mas sim “para que eu possa habitar em vocês”. A intenção do Criador sempre foi habitar dentro de cada um de nós. Quando escolhemos amor em suas muitas formas, imitamos as formas do Criador, portanto construindo nosso próprio Tabernáculo interno.

Uma das coisas que eu acho mais interessante sobre o amor é que existe uma fonte infinita dele dentro de cada um de nós, e, mesmo mesmo, uma falta tão grande de amor em nosso mundo. Nesta semana, preenchamos o mundo com amor, demonstrando-o em toda oportunidade. Há inúmeras formas! Em vez de simplesmente mandar uma mensagem a um amigo, pegue o telefone para perguntar como ele está e lhe dizer o quanto é querido. Voluntarie-se em um abrigo local de pessoas sem-teto, ou em sua igreja. Faça uma torta para sua vizinha. Escreva uma carta de amor a seu esposo/a ou à pessoa amada. Escute os outros de verdade. O mais importante, simplesmente estejamos disponíveis uns para os outros.

Como 13 é o valor numérico de amor, sabemos que quando duas pessoas agem com amor entre si, temos o número 26 - que é o valor numérico de YKVH, o Tetragrama, o nome mais poderoso de Deus.

Quando há amor entre as pessoas, a Luz de Deus habita não só em nós mesmos, mas brilha mais intensamente em todo o mundo.

→ clique aqui para ler outros artigos de

Karen Berg

 

Mostrar amor a outro ser humano é mostrar a ele a face do Divino.

Somos feitos de Amor. Esta é a verdadeira qualidade do Criador, e portanto, também é a essência de nossas almas.

Tenho que ser sincera. Muitos anos atrás, quando eu li pela primeira vez Vayakhel-Pekudei, eu achei estes capítulos os menos interessantes de toda a Bíblia. No entanto, com a ajuda do Zohar e dos comentários dos grandes kabalistas, eu vim a apreciar melhor estas histórias e seus significados. Em consequência, a lição desta semana talvez tenha se tornado inquestionavelmente uma das minhas favoritas.

Deus instrui Moisés, “Construam para mim um Tabernáculo, para que possa habitar em vocês.” Vayakhel e Pekudei, ambos discutem muitos detalhes que entraram na construção do Tabernáculo, e tudo o que era necessário para esta construção ser um lugar onde a Luz do Criador pudesse habitar. Há muitas mensagens em código em meio às instruções que Deus dá a Moisés, as dimensões do Tabernáculo, e como isto deve ser manifestado. Mas, o mais interessante é que há 13 diferentes materiais usados para criar este lugar.

Aprendemos no estudo da Kabbalah que o número 13 tem grande significado, porque tem o valor numérico da palavra ‘Amor’.

Claro que não temos hoje um Tabernáculo físico, e portanto depende de cada um de nós estabelecer um lugar onde o Criador possa habitar dentro de cada um. Como podemos gerar tal espaço? A numerologia nos oferece a resposta. O Tabernáculo agora, assim como no passado, deve ser criado com amor.

Compartilhar um ato de amor com o outro não exige que seja romântico. Podemos demonstrar atos de amor aos amigos, colegas  de trabalho, familiares, até mesmo a pessoas totalmente estranhas. Quando procuramos o que é bom em alguém, ao invés do que é ruim, este é um ato de amor. Quando damos a mão a um estranho em situação de necessidade, isto também é amor manifesto. Todo momento que usarmos nosso livre arbítrio para estender nossa mão a outro ser humano será, realmente, um momento constituído desse sentimento. É nessas expressões divinas que criamos dentro de nós um espaço para o Criador habitar.

Note que o Criador não diz “Construam para mim um Tabernáculo, para que possa habitar entre vocês”, mas sim “para que eu possa habitar em vocês”. A intenção do Criador sempre foi habitar dentro de cada um de nós. Quando escolhemos amor em suas muitas formas, imitamos as formas do Criador, portanto construindo nosso próprio Tabernáculo interno.

Uma das coisas que eu acho mais interessante sobre o amor é que existe uma fonte infinita dele dentro de cada um de nós, e, mesmo mesmo, uma falta tão grande de amor em nosso mundo. Nesta semana, preenchamos o mundo com amor, demonstrando-o em toda oportunidade. Há inúmeras formas! Em vez de simplesmente mandar uma mensagem a um amigo, pegue o telefone para perguntar como ele está e lhe dizer o quanto é querido. Voluntarie-se em um abrigo local de pessoas sem-teto, ou em sua igreja. Faça uma torta para sua vizinha. Escreva uma carta de amor a seu esposo/a ou à pessoa amada. Escute os outros de verdade. O mais importante, simplesmente estejamos disponíveis uns para os outros.

Como 13 é o valor numérico de amor, sabemos que quando duas pessoas agem com amor entre si, temos o número 26 - que é o valor numérico de YKVH, o Tetragrama, o nome mais poderoso de Deus.

Quando há amor entre as pessoas, a Luz de Deus habita não só em nós mesmos, mas brilha mais intensamente em todo o mundo.

→ clique aqui para ler outros artigos de

Karen Berg