Aproveitando as Oportunidades Espirituais | por Karen Berg

 

Algumas vezes pensamos que a vida é sobre ganhar prêmios e evitar punições, seguir todas as regras e ser um bom garoto ou garota, como esperam que sejamos, sobre andar na linha ou saber de tudo.

Mas a Kabbalah diz outra coisa.

A porção desta semana é chamada Ekev e quando olhamos no Zohar achamos um debate  sobre as correções das almas através das vidas. Ele explica que cada um de nós desce a este mundo físico com um certo “tikun” (correção) para completar, certas coisas a fazer; determinados  desafios para encarar e superar. Não existe um kit “sua vida deveria ser assim” e então você se redime desta situação.Tudo tem muito mais fluidez. O que há é um sistema universal de leis espirituais por meio das quais nos é dada a oportunidade de resolver nossa dívida kármica.

Muitos anos atrás, quando estávamos apenas começando a construir o que hoje conhecemos como Kabbalah Centre International, estávamos em Paris dando aulas e compartilhando o Zohar. Uma noite, lá estava uma jovem que comprou um set de Zohar de um de nossos professores, Shimon Safarti. Por conta do set inteiro com os volumes serem muito pesados, ela perguntou se ele poderia ajudá-la a transportá-los até sua casa. E então eles puseram tudo no carro. Infelizmente, quando eles chegaram a sua casa, o carro estava quase quebrando, estava superaquecendo e precisava de água para reiniciar.

Shimon pensou que eles poderiam pedir ao pai da jovem para fornecer lhe um pouco de água. Mas o pai era muito crítico e receoso aos ensinamentos da Kabbalah. Ele ficou ainda mais irado quando sua filha trouxe o Zohar. (Era um uma outra época. Para resumir, a comunidade religiosa teve muita dificuldade em aceitar que estávamos compartilhando esta sabedoria transformadora com o mundo). O resultado foi que o pai se recusou a dar a água, então Shimon caminhou até uma loja de esquina onde ele foi amavelmente recebido, e assim então, continuou seu caminho.

Eram seis da manhã e Shimon recebe uma ligação da jovem que está completamente histérica e em lágrimas. “Meu pai morreu dormindo!”, ela disse em prantos. Shimon, claro, ficou chocado. Toda a situação tinha sido pouco usual e muito intensa desde o início.

Quando finalmente Shimon me contou o que aconteceu, eu não pude deixar de me perguntar se o Universo havia dado àquele homem a oportunidade de mudar seu destino por meio de uma boa ação. Pois é isto o que nossas ações de compartilhar fazem: mudar o nosso destino. Imagino que nunca saberemos ao certo, mas a lição permanece: nesta vida, devemos trilhar nossa vida com cuidado para não ficar tão envolvidos apenas conosco e assim, perder as oportunidades que o Criador coloca a nossa frente para servir aos outros. Não estou dizendo que nós devemos compartilhar o tempo todo, mas sim estarmos abertos e conscientes quando surgir uma oportunidade. Podemos alterar a nossa vida em um segundo. É por meio daquelas pequenas, porém desconfortáveis aberturas, que conseguimos acessar os canais de Luz que estavam fechados a nós anteriormente.

Embora seja fácil se iludir e pensar que o nosso tempo aqui na terra é sobre pegarmos o que queremos ou ser de um certo jeito com as outras pessoas, temos que manter nossos olhos na grande figura. Eu conheci muitas pessoas com muito dinheiro que são deprimidas e não totalmente satisfeitas. Eu também vi crianças na rua nos bairros pobres, chutando uma latinha e seus olhos estavam cheios de luz e alegria. A razão é que quando se trata disto, realização não tem nada a haver com o que temos ou não temos. Nem tem a haver com o que nos tornamos. Realização é o resultado de uma luta constante para sermos seres humanos melhores.

Esta semana, esteja sempre aberto para sair da zona de conforto e oferecer ajuda quando a oportunidade aparecer.

Desejo a vocês uma ótima semana de luz e transformação,

Karen

→ clique aqui para ler outros artigos de Karen Berg

 

 

Algumas vezes pensamos que a vida é sobre ganhar prêmios e evitar punições, seguir todas as regras e ser um bom garoto ou garota, como esperam que sejamos, sobre andar na linha ou saber de tudo.

Mas a Kabbalah diz outra coisa.

A porção desta semana é chamada Ekev e quando olhamos no Zohar achamos um debate  sobre as correções das almas através das vidas. Ele explica que cada um de nós desce a este mundo físico com um certo “tikun” (correção) para completar, certas coisas a fazer; determinados  desafios para encarar e superar. Não existe um kit “sua vida deveria ser assim” e então você se redime desta situação.Tudo tem muito mais fluidez. O que há é um sistema universal de leis espirituais por meio das quais nos é dada a oportunidade de resolver nossa dívida kármica.

Muitos anos atrás, quando estávamos apenas começando a construir o que hoje conhecemos como Kabbalah Centre International, estávamos em Paris dando aulas e compartilhando o Zohar. Uma noite, lá estava uma jovem que comprou um set de Zohar de um de nossos professores, Shimon Safarti. Por conta do set inteiro com os volumes serem muito pesados, ela perguntou se ele poderia ajudá-la a transportá-los até sua casa. E então eles puseram tudo no carro. Infelizmente, quando eles chegaram a sua casa, o carro estava quase quebrando, estava superaquecendo e precisava de água para reiniciar.

Shimon pensou que eles poderiam pedir ao pai da jovem para fornecer lhe um pouco de água. Mas o pai era muito crítico e receoso aos ensinamentos da Kabbalah. Ele ficou ainda mais irado quando sua filha trouxe o Zohar. (Era um uma outra época. Para resumir, a comunidade religiosa teve muita dificuldade em aceitar que estávamos compartilhando esta sabedoria transformadora com o mundo). O resultado foi que o pai se recusou a dar a água, então Shimon caminhou até uma loja de esquina onde ele foi amavelmente recebido, e assim então, continuou seu caminho.

Eram seis da manhã e Shimon recebe uma ligação da jovem que está completamente histérica e em lágrimas. “Meu pai morreu dormindo!”, ela disse em prantos. Shimon, claro, ficou chocado. Toda a situação tinha sido pouco usual e muito intensa desde o início.

Quando finalmente Shimon me contou o que aconteceu, eu não pude deixar de me perguntar se o Universo havia dado àquele homem a oportunidade de mudar seu destino por meio de uma boa ação. Pois é isto o que nossas ações de compartilhar fazem: mudar o nosso destino. Imagino que nunca saberemos ao certo, mas a lição permanece: nesta vida, devemos trilhar nossa vida com cuidado para não ficar tão envolvidos apenas conosco e assim, perder as oportunidades que o Criador coloca a nossa frente para servir aos outros. Não estou dizendo que nós devemos compartilhar o tempo todo, mas sim estarmos abertos e conscientes quando surgir uma oportunidade. Podemos alterar a nossa vida em um segundo. É por meio daquelas pequenas, porém desconfortáveis aberturas, que conseguimos acessar os canais de Luz que estavam fechados a nós anteriormente.

Embora seja fácil se iludir e pensar que o nosso tempo aqui na terra é sobre pegarmos o que queremos ou ser de um certo jeito com as outras pessoas, temos que manter nossos olhos na grande figura. Eu conheci muitas pessoas com muito dinheiro que são deprimidas e não totalmente satisfeitas. Eu também vi crianças na rua nos bairros pobres, chutando uma latinha e seus olhos estavam cheios de luz e alegria. A razão é que quando se trata disto, realização não tem nada a haver com o que temos ou não temos. Nem tem a haver com o que nos tornamos. Realização é o resultado de uma luta constante para sermos seres humanos melhores.

Esta semana, esteja sempre aberto para sair da zona de conforto e oferecer ajuda quando a oportunidade aparecer.

Desejo a vocês uma ótima semana de luz e transformação,

Karen

→ clique aqui para ler outros artigos de Karen Berg